Elias Sfeir, presidente da ANBC                                                                                                                         Crédito foto: Divulgação

A Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC) afirma que 62% dos consumidores brasileiros sabem o que significa nota de crédito (score), conforme pesquisa realizada pela entidade com 1.015 consumidores. O relatório, realizado em abril e com atualização trimestral, tem como objetivo avaliar o interesse dos brasileiros em relação à educação financeira, conhecimento sobre nota de crédito (score) e importância para a sua vida financeira.

De acordo com Elias Sfeir, presidente da ANBC, o fato de o consumidor brasileiro se importar com a sua nota de crédito e acompanhar sua evolução, confirma o processo de educação financeira dos consumidores, que permite mais controle de suas finanças.

Do total dos entrevistados, apenas quatro em cada 10 consumidores (44%) conhecem sua própria nota de crédito (score) e 56% não têm ideia do que seja. Por faixa etária, os mais jovens, entre 24 e 35 anos, são os que mais sabem seu score (52%). Além disso, os homens (48%) acompanham mais sua nota de crédito que as mulheres (40%).

84% dos entrevistados acham importante a nota de crédito para a gestão de sua vida financeira. Esse índice chega a 88% entre as mulheres e cai para 82% entre os homens. Por faixa etária, o grupo entre 46 e 59 anos, com 92%, é o que mais valoriza essa informação.

A sondagem também constatou que 82% dos consumidores que conhecem o indicador têm o hábito de acompanhar a evolução da nota de crédito para checar a possibilidade de obterem crédito no mercado, sendo 28% para  controle financeiro e 23% para preservar a imagem de bom pagador.

Organização e controle das finanças

Consciente de que o interesse dos consumidores pela educação financeira é uma condição para o desenvolvimento do mercado de crédito brasileiro, a sondagem promovida pela ANBC levantou informações sobre como os entrevistados gerenciam suas finanças pessoais e da casa e se têm o hábito de controlar o orçamento doméstico.

Constatou-se que 86% buscam informações sobre como organizar melhor as contas pessoais e as da casa, enquanto 14% admitem desinteresse na busca por tais informações. Por faixa etária, constata-se que o grupo que mais busca informações é o de 60 anos ou mais, e que os homens (88%) buscam mais do que as mulheres (83%).

Segundo Sfeir, a proposta de realizar esse levantamento e torná-lo permanente é mais uma iniciativa do setor para incentivar as boas práticas de controle financeiro e mostrar a importância dos instrumentos de avaliação de crédito para as empresas interessadas na mitigação de riscos e consumidores, interessados em contratar crédito sob condições mais justas e vantajosas.

(Com assessoria de imprensa)