82% dos CEOs acreditam estar aptos para cyber ataques-crédito-Freepik

Crédito: Freepik

64% dos CEOs brasileiros investem mais capital na compra de novas tecnologias do que no desenvolvimento de habilidades digitais de funcionários, diz o estudo da consultoria KPMG 2021 CEO Outlook, publicado pela Febraban.

O levantamento aponta ainda que 82% deles afirmam estar preparados ou muito bem preparados para um futuro ataque cibernético, contra 62% dos ouvidos na pesquisa realizada no ano passado.

Foram entrevistado o total de 1.325 CEOS globais, sendo 50 deles brasileiros, representando 11 setores da indústria. No que diz respeito a possíveis riscos que impactam o crescimento das empresas, 24% dos executivos no país temem, especialmente, as tecnologias disruptivas e 22% as falhas das cadeias de suprimento.

Comparado ao último ano, a pesquisa registrou pouca mudança nas considerações dos líderes brasileiros sobre a importância de sairem na frente em termos de inovação, de 78% foi para 72. Houve também queda inexpressiva no número de CEOs que encaram a disrupção tecnológica como oportunidade de mercado e não ameaça, queda de 92% para 84%.

A agenda ESG, práticas ambiental, social e de governança aparecem na pesquisa como preocupação dos CEOS brasileiros entrevistados. 76% deles dizem que pretendem garantir que sejam mantidos os ganhos de sustentabilidade obtidos durante o período de crise e mais de 80% têm focado mais no componente social da agenda.