Crédito: Freepik

A Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE) assina nesta terça-feira (17), em Brasília, memorando de entendimento com o Fundo Financeiro para Desenvolvimento da Bacia do Prata (Fonplata) – banco de desenvolvimento que possui membros de cinco países da América do Sul: Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai e Uruguai. O objetivo da parceria é incentivar as instituições financeiras a investirem em infraestrutura que promovam o desenvolvimento sustentável no país.

O contrato de parceria entre ABDE e Fonplata prevê como atividades centrais a troca de informações, realização de estudos, organização de eventos e a prospecção de oportunidades de atuação conjunta, além da captação de recursos dos associados da ABDE com a entidade sul-americana.

“As parcerias com entidades internacionais do porte do Fonplata são fundamentais para avançarmos na agenda de desenvolvimento sustentável. Construímos um acordo de cooperação com um amplo conjunto de atividades e que fortalecem as instituições financeiras de desenvolvimento brasileiras para esse propósito”, afirmou o presidente da ABDE, Sergio Gusmão Suchodolski.

A ABDE tem firmado uma série de parcerias com bancos multilaterais de desenvolvimento e organismos internacionais, a fim de permitir a cooperação técnica e capacitação dos integrantes do Sistema Nacional de Fomento. A meta é trazer a agenda de sustentabilidade, em especial à ligada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), para a realidade brasileira.

Entre as entidades com parcerias firmadas com a ABDE estão o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), a Associação Latino-Americana de Instituições Financeiras para o Desenvolvimento (Alide), a Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH e a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD).

Associação Brasileira de Desenvolvimento

A ABDE foi criada em 1969 e reúne 31 Instituições Financeiras de Desenvolvimento (IFDs) espalhadas por todo o país – entre bancos públicos federais, bancos de desenvolvimento controlados por estados da federação, bancos cooperativos, bancos públicos comerciais estaduais com carteira de desenvolvimento e agências de fomento -, além da Finep e do Sebrae. Juntas, essas instituições compõem o Sistema Nacional de Fomento (SNF).

(Com assessoria)