Abecs estima movimentar R$ 3 trilhões em 2022- Pedro Coutinho, presidente Abecs - Crédito: Cláudio Belli

Pedro Coutinho, presidente Abecs – Crédito: Cláudio Belli

O setor de meios eletrônicos de pagamentos deverá movimentar R$ 2,5 trilhões de transações até o final de 2021, o que representará um crescimento de 24,5% em relação ao ano passado, conforme estima Pedro Coutinho, presidente da Abecs, associação dos meios eletrônicos de pagamento, durante abertura virtual do 15º Congresso de Meios de Pagamento. A expectativa para 2022 é chegar a R$ 3 trilhões e crescer 20%.

De acordo com a Abecs, as compras não presenciais via e-commerce, aplicativos e wallets cresceram 41% no segundo semestre, somando R$ 255 bilhões. Os pagamentos por aproximação seguem com crescimento exponencial, atingindo crescimento de quase 700% nesse período.

“São números bastante expressivos que refletem todo o processo de transformação digital que estamos vivendo atualmente, assim como a a evolução dos hábitos de consumo dos brasileiros cada vez mais conectados, seguros e conscientes”, afirmou Coutinho. O setor de meios de pagamento eletrônico, segundo ele, já representa hoje 60% do consumo das famílias brasileiras.

Ricardo de Barros Vieira, vice-presidente da Abecs, reforçou o papel da entidade, que completa 50 anos, e seu protagonismo na indústria financeira do país.

Entre as iniciativas para propagar o meio eletrônico de pagamento, Vieira citou o projeto crediário no cartão, que a entidade vem coordenando para melhorar a experiência do usuário e beneficiar consumidores e lojistas. “Emissores, bandeiras e adquirentes estão iniciando um piloto do crediário nas cidades de Brasília e Campinas, durante os meses de setembro e outubro, o que certamente ajudará a projetar a nova modalidade”, disse Vieira.

Entre as inovação na indústria como pagamento por aproximação constam os cartões de mobilidade urbana, usados em transporte públicos por meio do pagamento por aproximação, além das soluções de segurança como tokenização, 3Ds 2.0 e biometria.