Ações da Petrobras despencam no pré-mercado de Nova York - Crédito: Fernando Frazão/Agência Brasil

Crédito: Fernando Frazão/Agência Brasil

Após a demissão repentina de José Mauro Ferreira Coelho no comando da Petrobras, as ADRs (recibos das ações da petroleira, na sigla em inglês), negociadas na Bolsa de Nova York, já despencaram mais de 12% no pré-mercado desta terça-feira, 24. Já os preços do barril de petróleo operam em leve alta, com o Brent sendo negociado acima de US$ 113.

O Ministério de Minas e Energia anunciou em nota oficial na noite dessa segunda-feira, 23, a demissão de José Mauro Ferreira Coelho, após 40 dias no cargo. Ele foi o terceiro presidente da estatal no governo Jair Bolsonaro.

Para o lugar de José Mauro Coelho, o governo decidiu indicar Caio do Mário Paes de Andrade, auxiliar do ministro Paulo Guedes no Ministério da Economia, onde ocupava o cargo de secretário de Desburocratização. As três demissões da presidência da Petrobras aconteceram em função da progressiva elevação do preço dos combustíveis.

Risco de escassez do diesel

Segundo a Agência Reuters, a Petrobras alertou o governo na semana passada que poderia haver escassez de óleo diesel se a empresa não acompanhasse os preços de mercado.

A Petrobras sinalizou o risco de escassez no terceiro trimestre, quando a demanda por diesel aumenta sazonalmente nos Estados Unidos e no Brasil, em função da exportação de grãos.

O fornecimento de diesel tornou-se uma preocupação global desde que as sanções contra a Rússia reformularam o comércio de combustível e deixaram os estoques internacionais em mínimos históricos.

A invasão da Ucrânia pela Rússia elevou os preços do petróleo bruto para uma alta de 14 anos. Este mês, a escassez global levou os comerciantes de diesel a pagar um prêmio de mais de US$ 50 por barril.

(com Agência Reuters)