Moedas desenhadas em giz caem na mão de homem - Crédito: Freepik

Crédito: Freepik

O BNDES (Banco Nacional e Desenvolvimento Econômico e Social) anunciou a realização de um aporte de até R$ 320 milhões no fundo FIC FIDC XP Brasil MPME, lançado em parceria com a fintech Acqio, a XP Asset e a One7. O objetivo do novo fundo é oferecer crédito para micro e pequenas empresas. Para isso ele terá um patrimônio consolidado de R$ 400 milhões.

A ideia é beneficiar empresas localizadas principalmente nas regiões Sudeste e Nordeste do país. O objetivo é oferecer capital na ponta para empresas que carecem de crédito e ainda sofrem os efeitos decorrentes da pandemia de covid-19. Trata-se do primeiro produto da XP Asset em parceria com o BNDES.

Além do aporte do BNDES, R$ 60 milhões virão de fundos geridos pela XP Asset e R$ 20 milhões da One7, empresa atuante no segmento de MPMEs. O Fundo terá prazo total de seis anos. A Acqio é uma fintech que atua como adquirente e desenvolve soluções de pagamento para o varejo. Com sede em São Paulo, está presente em mais de 2.500 municípios.

Comércio e Serviços

Com os recursos do BNDES, o FIC FIDC XP Brasil MPME ofertará crédito a microempreendedores individuais e pequenos e médios varejistas do setor de comércio e serviços (com faturamento anual entre R$ 120 mil e R$ 1,2 milhão) e pequenas e médias empresas (com faturamento anual entre R$ 3 milhões e R$ 36 milhões) dos setores de indústria, construção civil e comércio e serviços, localizadas. O FIDC viabilizará a oferta de microcrédito a áreas com menos acesso a financiamentos e baixo desenvolvimento socioeconômico.

“Essa é uma iniciativa que vai ao encontro da missão do BNDES de fomentar o acesso ao crédito no país, estimulando a entrada de novos participantes, formatos e focando esta atuação na base de micro e pequenas empresas. Nesse sentido, a constituição desse FIDC em parceria com a XP, a One7 e a Acqio, é uma forte indicação que estamos no caminho certo em prol da concessão de crédito na última milha com maior efetividade. Desafio que o BNDES colocou como prioridade estratégica”, aponta Bruno Laskowsky, Diretor de Participações, Mercado de Capitais e Crédito Indireto do BNDES.

O fundo é o sétimo contratado por meio da Chamada Pública. Além do FIC FIDC XP Brasil MPME, receberam recursos da chamada os FIDCs das empresas CashMe-Plural, Captalys, SRM, Cielo, SumUp e BizCapital. No total, o BNDES já comprometeu cerca de R$ 2,5 bilhões para esses fundos, que totalizam R$ 3,1 bilhões em recursos totais para as PMEs. Ao todo, estima-se entre 500 mil e 800 mil autônomos, micro e pequenos empresários e autônomos poderão obter crédito mais barato e acessível.

(com assessoria)