Três cifrões prateados em fundo cinza

Crédito: Divulgação

A ADDI, fintech colombiana responsável por parcelamentos sem juros e sem cartão de crédito no e-commerce e varejo físico, anuncia um aporte de US$65 milhões, aproximadamente R$350 milhões. A rodada Series B é de US$ 65 milhões, sendo US$35 milhões de equity e US$30 milhões de linha de crédito, da Architect Capital.

O aporte foi liderado pela Union Square Ventures, com novos investidores 8VC, Citius Capital, Endeavor Catalyst, The Marathon Fund, GGV partner Hans Tung e o ex-COO Huey Lin da Affirm. Os investidores anteriores Andreessen Horowitz, Foundation Capital, Monashees e Quona Capital também participaram da nova rodada.

O fundo será usado para expandir os negócios da ADDI na Colômbia e apoiar seu lançamento oficial e expansão no Brasil, onde começou a operar neste ano. Desde então, em apenas dois meses, a ADDI está disponível em 50 varejistas e integrada às plataformas da VTEX, Nuvemshop e WooCommerce. “Nós oferecemos aos varejistas e clientes a possibilidade de, digitalmente, fazerem transações com uma forma de pagamento rápida, justa e disruptiva”, explica Santiago Suarez, cofundador e CEO da ADDI.

Para fornecer crédito sem garantia, a Addi desenvolveu um algoritmo que cruza verificação de identidade com dados de birôs de crédito e de diversas outras fontes. Para conseguir o empréstimo, o consumidor precisa fornecer apenas o CPF, o número de celular com acesso ao WhatsApp e um e-mail. A aprovação do crédito demora, segundo a Addi, no máximo, quatro minutos. Quando o valor é liberado, basta escolher em quantas parcelas pagar. Na sequência, um código para liberar o crédito é enviado ao celular e a compra é concluída. (Com assessoria de imprensa)