Apple lança novo software para setor automotivo - Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

A Apple vai integrar seu software ao painel de instrumentos dos carros, que serão comercializados a partir do próximo ano. O novo software irá, pela primeira vez, alimentar o painel com informações sobre velocidade, direção e consumo de combustível, conforme anunciou a empresa em sua conferência anual de desenvolvedores de software realizada nesta segunda-feira, 6.

De acordo com a Apple, a Ford planeja usar a ferramenta nos carros vendidos, a partir do próximo ano.

A gigante de tecnologia informou também o lançamento de um modelo de compre agora, pague depois (buy now, pay later). O Apple Pay Later estará disponível nos locais em que o Apple Pay seja aceito e gerenciado por meio do Apple Wallet. A solução permite que os usuários realizem quatro pagamentos iguais, sem juros ou taxas.

Além desses lançamentos, a empresa adicionou ainda um botão de edição ao iMessage para mensagens enviadas.

A Apple introduziu ajustes em aplicativos populares, incluindo melhor renderização de pontos de referência em seu software Mapas, resultados esportivos ao vivo na Apple TV e disponibilização em mensagens do aplicativo de visualização de vídeo compartilhado.

O Safety Check, solução voltada para desativar o acesso a informações confidenciais a pessoas em situações de abuso, também foi anunciada no evento.

Desenvolvedores de software esperam que o futuro headseat da companhia, que ainda não foi anunciado, use câmeras para passar uma visão do mundo exterior em uma tela de alta resolução que poderá sobrepor objetos digitais em ambientes físico. A previsão é que a ferramenta seja lançada em março de 2023.

A solução, na opinião de analistas, seria a primeira entrada da Apple em uma nova categoria de dispositivo de computação desde que o Apple Watch foi lançado, em 2015. A ferramenta colocaria a companhia em concorrência direta com a Meta, que divulgou planos para um código de headset de realidade mista chamado “Cambria”, a ser lançado neste ano.

(Com Reuters)