Foto da sede do Banco do Brasil em Brasília

Sede do Banco do Brasil, em Brasília Crédito: Agência Brasil – foto: Marcelo Camargo

O Banco do Brasil registrou lucro líquido ajustado de R$ 5,0 bilhões no segundo trimestre de 2021, aumento de 2,6% comparado com o primeiro trimestre, e 52,2% em relação ao mesmo período do ano passado, com Retorno do Patrimônio Líquido (RSPL) de 14,4%.

No semestre, o lucro líquido ajustado alcançou R$ 10,0 bilhões, aumento de 48,4% frente ao mesmo período em 2020, com RSPL de 14,9%. O resultado foi influenciado pelo crescimento do crédito, redução das despesas de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa (PCLD), desempenho positivo das receitas de prestação de serviços e da margem financeira bruta e pelo controle das despesas administrativas.

A carteira de crédito atingiu R$ 766,5 bilhões em junho de 2021, crescimento de 6,1% na comparação ao mesmo período do ano passado, com destaque para as operações de varejo e agronegócios. A carteira PF cresceu 10,3% na comparação com junho de 20 e 2,8% na comparação com março de 2021. Destaque para a carteira de crédito consignado, que superou a marca histórica de R$ 100 bilhões, e para o desempenho positivo do crédito pessoal e do cartão de crédito, em linha com a estratégia de mudança de mix para linhas mais rentáveis.

(Com assessoria)