Banco Inter atinge 14 milhões de clientes- Crédito: divulgacao

Crédito: Divulgação

Após sofrer com especulações sobre possíveis mudança nos provisionamentos, o banco Inter decidiu antecipar a prévia operacional do terceiro trimestre nesta segunda feira, 4, mostrando que manteve o nível de provisões para perdas com inadimplência.

De acordo com o comunicado, o banco alcançou 14 milhões de clientes no terceiro trimestre, aumento de 16% sobre o trimestre anterior e de 94% ante o mesmo período de 2020. Desse total 13 milhões são pessoas físicas e 1 milhão jurídica, segundo a prévia operacional do terceiro trimestre, divulgada nesta segunda-feira, 4.

Mesmo com a iniciativa de divulgar a prévia, as ações do banco Inter liderava perdas no Ibovespa, caindo 7%, nesta segunda, o que levou os papeis da empresa entrarem em leilão às 12h58.

Às 14h33, as units do Banco Inter recuavam 12,56%, enquanto os papéis preferenciais da companhia operavam em baixa de 12,19%. No mesmo horário, o Ibovespa caía 2,44%, aos 110.142 pontos.

Foram 2 milhões conquistadas pelo banco no terceiro trimestre, crescimento de 7,5% ante o segundo trimestre e de 56% na comparação com o terceiro trimestre de 2020. O saldo médio em conta por cliente, segundo o banco, encerrou o terceiro trimestre em R$ 1,41 mil, alta de 7,7% sobre o ano anterior.

De acordo com o comunicado do banco, foram transacionados R$ 11,6 bilhões em cartões no terceiro trimestre, crescimento de 23% em base trimestral e 125% em base anual, diz o banco. O número de cartões utilizados atingiu 4,8 milhões, crescimento de 15% ante o segundo trimestre e 93% na comparação anual.

O banco ultrapassou 422 milhões de logins em seu SuperApp no terceiro trimestre de 2021. E finalizou o mês de setembro com NPS (Net Promoter Score) de 84 pontos, o indicador mostra a propensão de um usuário recomendar o serviço para outra pessoa.

Na parte de crédito, a originação ficou em R$ 5,5 bilhões, 15% maior no comparativo trimestral e 121% no anual. Para empresas, a produção de crédito cresceu 152% ante o terceiro trimestre de 2020, para R$ 3,2 bilhões; o imobiliário +50%, para R$ 815 milhões; e o consignado cresceu 120%, para R$ 1,5 bilhão também ante um ano.

O índice de inadimplência (NPL) acima de 90 dias alcançou 2,9% no terceiro trimestre, crescimento de 0,1 ponto percentual sobre o segundo trimestre e queda de 0,6 p.p. ante o terceiro trimestre do ano passado.

“A provisão se manteve constante em relação aos trimestres anteriores representando 2,5% da carteira de crédito ampliada do período”, diz o banco na prévia.