Crédito: Freepik

O Banco Safra lançou dois novos fundos no mercado para ampliar sua oferta de investimento consciente: o Safra Direct Carbono e o Safra ASG Global.

O mercado global de carbono movimentou US$ 272 bilhões, com crescimento de 20% em 2020. O dinamismo no mercado de crédito de carbono e a diversidade de investidores, segundo o banco, é uma forma de estimular  grandes empresas a inovarem, reduzindo suas emissões de maneira segura e sustentável.
O Fundo Safra Direct Carbono aloca seus recursos diretamente no mercado de futuros de crédito de carbono.
Incialmente, o fundo investirá no mercado europeu, por ser considerado o mais avançado em sustentabilidade empresarial, além de contar com regras e penalidades mais severas no caso de descumprimento das metas pré-estabelecidas. O fundo, no entanto, conforme prevê o banco, poderá vir a investir inclusive no mercado voluntário de carbono norte-americano.
Já o ASG Global é um fundo multimercado com exposição ao câmbio, que investe em fundos que buscam no mercado de ações local e internacional boas oportunidades de investimento em empresas que atendam aos critérios ESG.
60% da carteira é composta pelo Fundo Safra Impacto ASG, que investe em ações de empresas brasileiras que se destacam pelas boas práticas de sustentabilidade. O objetivo é buscar retornos superiores ao Ibovespa. E 40%  está ligada ao JSS Suitainable Equity Global, fundo offshore criado em setembro de 2005 e gerido pela J. Safra Sarasin Asset Management, gestora com sede na Suíça e que pertence ao Grupo J.Safra.