BC pede reajuste de 22% para funcionários - Crédito: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Crédito: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O BC, Banco Central, enviou ao Ministério da Economia nesta quinta-feira, 12, uma proposta de Medida Provisória (MP) que prevê reajuste salarial de 22% para servidores do órgão a partir de junho de 2022, além de reestruturação de carreira e criação de retribuição por produtividade institucional e de taxa de supervisão. Mas a autarquia retirou no final do dia a proposta alegando ter detectado inconsistências.

A remuneração inicial de um técnico do BC é de R$ 7,5 mil e de um analista, de R$ 19,2 mil.

Se a MP for publicada pelo governo, os pagamentos sairiam com o novo valor já a partir de junho. Com relação à  reestruturação da carreira envolve a exigência formação superior para exercer o cargo de técnico e a alteração de nomenclatura para o cargo de analista, que se tornaria auditor. A informação foi publicada pelo Estado de S. Paulo e confirmada pelo Globo.

O comunicado prevê a criação de Retribuição por Produtividade Institucional, que seria regulado posteriormente pela diretoria do Banco Central e uma nova tabela salarial para os funcionários CLT reintregados.

O governo cogitava a possibilidade de dar um reajuste de 5% para todos os servidores, cuja proposta desagradou boa parte dos servidores do BC por estar longe de compensar a perda inflacionária. Eles pediam 27% de reajuste para compensar a inflação dos anos em que não houve aumento de salário. No entanto, nada oficial foi estabelecido ao enviado ao Congresso Nacional.

Os servidores do Banco Central estão em greve desde o início de abril. No mês passado, houve uma paralisação de algumas semanas como um gesto para esperar uma proposta do governo. Já no último dia 3, a greve foi retomada, segundo o sindicato, porque o governo não fez a nova proposta.

O governo já tem pronto um PLN (Projeto de Lei do Congresso Nacional), propondo reajuste linerar de 5% para os funcionários públicos, a partir de julho. A proposta deve ser enviada ao Legislativo antes do dia 22 deste mês, quando será divulgado o relatório bimestral de receitas e despesas para abrir espaço no Orçamento.

 

(Com agências de notícias)