Foto da sede do Banco Central em Brasília, vista por baixo

Sede do Banco Central em Brasília – Crédito: Flickr BC

O Banco Central anunciou os projetos selecionados na quarta edição do Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas (LIFT Lab). Os 11 projetos selecionados, entre 43 propostas apresentadas, cobrem áreas, como open banking para o agronegócio, centralização para pagamento de tributos por meio de carteira digital e empoderamento do cliente bancário.

Os projetos foram apresentados pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que ressaltou a importância de um ambiente que fomente a inovação e lembrou o alto custo para se fazer negócios no Brasil. “O custo para se montar uma empresa que dá certo é alto, mas o custo para se montar uma empresa que dá errado é altíssimo. Nesse mundo de inovação, a gente precisa ter projetos, como o LIFT Lab, que fazem com que esse custo de experimentação seja baixo”, completou o chefe da autoridade monetária.

O Lift Lab foi lançado em 9 de maio de 2018 e selecionou em suas edições de 2018, 2019 e 2020 um total de 63 propostas de desenvolvimento de projetos, que resultaram em 50 protótipos inovadores para o SFN.

Lista de projetos selecionados para o LIFT Lab 2021:

Agro Open Bank (Creditares) – propõe utilizar inteligência artificial para analisar os dados agronômicos, financeiros e de mercado para fazer projeções financeiras e simulações para o produtor, recomendando melhores combinações de crédito, hedge e estratégias de comercialização (futura, spot).

Centralização para pagamento de tributos através da Carteira Digital (Banco Útil) – carteira digital corporativa focada no pagamento de tributos das empresas. Atualmente tem mais de 150 clientes pagantes, que conseguem compensar seus tributos em até 15 minutos todos os dias da semana.

Empoderamento do cliente bancário – projeto visa provar instituições financeiras com inteligência para oferecer gestão de finanças pessoais a seus clientes. Turbinado pelo Open Banking, construirá uma aplicação em nuvem para instituições financeiras.

Finanças para entregadores e motoristas (Plific) – solução financeira feita para entregadores e motoristas de aplicativos. Na Plific, poderão sincronizar suas contas nos diferentes aplicativos e acompanhar o quanto lucraram no dia, na semana e no mês.

Formalização da Operação de Crédito 100% Digital – coletas de documentos, extração da informação do documento para validação com bases da Receita Federal, prova de vida, facematch, aceite dos termos do contrato e assinatura por voz com reconhecimento do áudio.

Observatório Amazônia – aprimoramento de uma plataforma web confiável, acessível e intuitiva que permita a interoperabilidade de serviços e integração de dados geoespaciais. Promove o monitoramento e a gestão de dados no território da Amazônia Legal.

Plataforma de Investimento e Gestão de Nano Negócios (Grana Solidária) – conecta investidores e nano-empreendedores, dando acesso a microcrédito fácil e de juros acessíveis e apoio para gerir o negócio.

Plataforma Open Banking para todos – projeto de soluções de Open Banking tem como objetivo facilitar a portabilidade de dados financeiros de pessoas onde quer que elas estejam.

RBDC – Real Backed Digital Currency – pretende trazer experimentos práticos quanto à viabilidade de representação de moeda eletrônica em redes blockchain, assim como permitir uma visão crítica sobre os desafios e conveniência da interoperabilidade Pix – blockchain.

Simplificando Pagamentos Digitais (Shipay) – hub que integra carteiras digitais em sistemas corporativos como frente de loja, ERP, PDV, ecommerce e apps.

Soluções Integradas de Câmbio para Investimento, Hedge e Comex (Banco Adenom) – modelo de negócios de um banco comercial especializado em câmbio. Serão ofertados produtos diferenciados, incorporando diferentes moedas estrangeiras, em formatos coerentes com as metas dos clientes.

(Com assessoria de imprensa)