Crédito: Freepick

A Bemobi, especializada na distribuição e monetização de apps, anuncia nesta sexta-feira, dia 13, a compra da M4U, provedor de soluções de tecnologia de pagamento para operadoras de telecom no país. Em 2020, a M4U gerenciou em sua plataforma um volume de pagamentos (TPV) de mais de R$ 6 bilhões.

Com a aquisição, a Bemobi amplia o portfólio de microfinanças no país e intensifica o processo de consolidação internacional. O objetivo é oferecer os serviços da M4U em seus canais digitais móveis, junto aos mais de 2,2 bilhões de clientes potenciais das 76 operadoras de telefonia celular, distribuídas em mais de 40 países em que atua.

“A M4U vai fortalecer nossa posição no segmento de microfinanças e trazer novas competências ao nosso time de tecnologia, com forte know-how na área de meios de pagamentos, que irá viabilizar as nossas ofertas e acelerar a democratização do consumo de serviços digitais nos mercados emergentes em que atuamos”, afirma Pedro Ripper, cofundador e CEO da Bemobi.

A M4U opera plataformas de meios de pagamento para vendas digitais de recarga de celulares pré-pagos, e na gestão de faturamento e cobrança de planos de telefonia móvel. Sua principal solução é uma plataforma digital de pagamentos fim-a-fim,  utilizada no modelo “white label” por todas as principais operadoras do Brasil.

Essa plataforma permite que os usuários comprem suas recargas e paguem seus planos, em diversos canais digitais, através de cartão de crédito, débito, PIX entre outras opções de pagamentos eletrônicos de forma segura e simples.

Com mais de 60 milhões de clientes ao redor do mundo, a Bemobi é pioneira na oferta de aplicativos e jogos de parceiros, como Disney, Viacom, Rovio e Ubisoft. Opera em regime de assinatura, sem anúncios e com todas as funcionalidades liberadas.

Com uso intensivo de Inteligência Artificial e Machine Learning, por meio da sua plataforma proprietária de distribuição digital (Loop), a Bemobi acompanha a rotina de consumo de milhões de usuários de telefonia móvel, em parceria com algumas das maiores operadoras do mundo, como Claro, Vodafone, Vivo, Tim, Movistar e Oi, para compreender sua jornada e transformar pontos de fricção em canais digitais para levar ofertas relevantes ao contexto de cada usuário de celular no momento certo, no canal mais adequado e a um preço acessível.

A Vinci Partners e o Pinheiro Guimarães atuaram como assessores financeiro e jurídico, respectivamente, pela Bemobi, que levantou R$ 1,1 bilhão na B3 para viabilizar sua estratégia de crescimento por meio de M&A.

A transação está  sujeita à análise das autoridades concorrenciais.

(Com assessoria)