Bitcoin é penalizado por queda global na bolsa - Crédito: Freepik

Crédito: Freepik

O Bitcoin sofreu novamente queda no preço para o nível de US$ 29.000. O mercado global de criptomoedas permanece no vermelho nesta quinta-feira, 19, caindo para US$ 1,25 trilhão, dos US$ 1,31 trilhão registrados na segunda-feira.

A correlação do Bitcoin com o Nasdaq, mercado de ações norteamericano, somada a aversão ao risco nos mercados estão penalizando o Bitcoin, que não conseguiu se manter acima de US$ 30.000, alcançados na última terça-feira.

Conforme analistas, se a principal criptomoeda do mercado não conseguir recuperar rapidamente o suporte principal de US$ 30 mil, poderá revisitar a baixa da semana passada, flertando novamente com a mínima do ano de US$ 26.600.

Os gráficos de longo prazo não permitem identificar nenhum suporte crível antes do principal limite psicológico de US$ 20.000, exceto para a média móvel de 200 semanas atualmente em torno de US$ 22.000, segundo analistas.

Tudo indica que a queda do Bitcoin pode acelerar acentuadamente nos próximos dias, já que a criptomoeda está atualmente registrando sua sétima semana consecutiva de perdas, a primeira em sua curta história.

Impacto em outras criptomoedas

Quanto às outras principais criptomoedas, deve-se notar que o Ethereum, segundo maior criptomoeda do mercado, recuou 3,3% nas últimas 24 horas, chegando a ficar abaixo do limite principal de US$ 1900 antes de retornar a esse patamar. De acordo com a CoinGecko, o preço atual da ETH é de US$ 1.962. Desde novembro de 2021, a ETH já recuou 59%.

Também amanheceram em queda, como é o caso da BNB, XRP, Cardano, Solana, Polkadot e Dogecoin, que registraram quedas de até 11% em 24 horas.

A Cardano é a que está mostrando a maior queda no top 10 de criptomoedas no momento da redação deste artigo, caindo quase 1,17% desde ontem. Além do Bitcoin, BNB também avança no TOP 10, subindo 1,21% a US$ 301,61.

O crash do mercado de criptomoedas está completando uma semana. Após o colapso da rede Terra e a queda acentuada de algumas criptomoedas, alguns analistas acreditam que há um longo caminho a percorrer, antes daa recuperação.

(Com CriptoFácil, Investing e agências internacionais)