BNDES define fundos onde investirá até R$ 2,5 bilhões - Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) pré-selecionou oito propostas em sua chamada pública para seleção e subscrição de cotas de até cinco fundos de investimento com foco em infraestrutura.

Dos oito, cinco fundos de investimento voltados a infraestrutura foram os mais bem avaliados pelo BNDES, nos quais deverá aportar R$ 2,5 bilhões. As propostas mais bem qualificadas são dos fundos Vinci Climate Change FIP Multiestratégia; FIP BTG Pactual Infraestrutura III; FIP Kinea Equity Infra I; Pátria Infra Crédito FIDC; e Vinci FI-Infra RF.

Os três primeiros são fundos de equity (destinados a participação acionária e títulos conversíveis em ações), enquanto os dois últimos são voltados a crédito de longo prazo.

A iniciativa busca desenvolver o mercado, acelerar o investimento privado em infraestrutura e viabilizar melhorias de longo prazo na qualidade dos serviços do setor no país. Os setores de interesse do banco são logística e transporte, energia, mobilidade urbana, saneamento básico e telecomunicações.

A participação do BNDES em cada fundo selecionado será limitada a R$ 500 milhões, totalizando um montante de até R$ 2,5 bilhões em aportes nos cinco fundos selecionados. A estimativa é de que outros R$ 5 bilhões de capital privado sejam mobilizados para esses fundos de infraestrutura, alcançando cerca de R$ 7,5 bilhões em investimentos.

“A Chamada Pública para a Seleção de Fundos de Investimento em Infraestrutura posiciona o BNDES como investidor âncora com capacidade de atração de recursos privados para o setor de infraestrutura no Brasil. Assim, o BNDES reforça o seu compromisso estruturante e sistêmico no setor, o que é estratégico para melhorar a qualidade de vida dos brasileiros e a produtividade das cadeias produtivas nacionais” explicou o diretor de participações, mercado de capitais e crédito indireto do BNDES, Bruno Laskowsky.

Chamada Pública

O edital para a Chamada Pública de Seleção de Fundos de Investimento em Infraestrutura priorizou fundos voltados para investidores institucionais (que administram recursos de terceiros institucionais) e fundos que invistam em setores com alto impacto social, como os de saneamento e mobilidade urbana.

Além disso, foram melhor pontuados fundos com meios de mensuração de impacto social e ambiental (ESG). Os critérios para avaliação das propostas envolveram também o histórico e alinhamento da gestora, capacidade de gestão da equipe chave dos fundos, qualidade e aderência da tese de investimento ao Edital da Chamada, captação e custos dos fundos, dentre outros.

Ao todo, foram recebidas 28 propostas de diferentes gestores, sendo 13 para a modalidade de Fundos de Equity e 15 para a modalidade Fundos de Crédito. Em uma primeira fase classificatória, os proponentes foram avaliados de forma colegiada por uma equipe técnica. Na segunda fase classificatória, as equipes gestoras dos doze fundos classificados na primeira fase apresentaram suas propostas para uma Banca de Avaliação do BNDES, que definiu a classificação final com as oito propostas elegíveis.

Para a terceira e última fase do processo, as cinco propostas elegíveis mais bem classificadas, sendo 3 da modalidade de equity e 2 da modalidade de crédito, serão submetidas a diligências gerenciais e jurídicas e, ao final do processo de diligência, a contratação e subscrição de cada fundo será submetida à Diretoria do BNDES.

(com assessoria)