BNDES relança programa de crédito aos pequenos negócios - Crédito: Freepik

Crédito: Freepik

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta segunda-feira, 20, que será reaberto o Programa Emergencial de Acesso a Crédito na modalidade garantia (PEAC-FGI).

Nesta segunda fase, além das pequenas e médias empresas, serão apoiadas também as microempresas e os microempreendedores individuais (MEI), com a expectativa de poder alavancar mais de R$ 20 bilhões em financiamentos até dezembro de 2023.

O anúncio foi feito em evento de celebração dos 70 anos do BNDES, na sede do Banco, no Rio de Janeiro.

Durante o evento, o BNDES também divulgou a Carta aos Estados, um documento apresentando caminhos para que as unidades federativas conheçam o Banco e as soluções ofertadas em sua plataforma de serviços, tais como estruturação de projetos de concessão e fomento ao mercado de carbono, entre outras iniciativas.

Ela também destaca os 17 milhões de brasileiros que já serão impactados pela universalização do serviço de água e esgoto por meio de projetos desenvolvidos pela instituição, além de iniciativas de fomento às micro, pequenas e médias empresas, como o próprio PEAC e outros instrumentos de garantias.

Programa

Trata-se de um programa de garantia operacionalizado por meio do Fundo Garantidor para Investimentos (FGI), que reduz a perda com inadimplência para instituições financeiras em novas operações com o público-alvo. Na prática, os bancos se sentem mais seguros para emprestar mais e em condições mais favoráveis aos beneficiários, ampliando o acesso das empresas ao crédito e ajudando a aquecer a atividade econômica.

A iniciativa foi lançada originalmente para combater os efeitos econômicos da pandemia de covid-19. Suas contratações de financiamento haviam sido encerradas em dezembro de 2020.

O PEAC-FGI concedeu R$ 92 bilhões em novos créditos, prioritariamente, aos negócios de pequeno porte durante o segundo semestre de 2020. Esse programa teve operações em todas as regiões do Brasil, tendo beneficiado 114 mil empresas (68% pequeno porte; 31% médio porte; 1% grande porte) em mais de 3.800 municípios.

(com assessoria)