BNDES seleciona projetos para reduzir carbono- Crédito: Freepik

Crédito: Freepik

O BNDES, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, abre nesta quarta feira, 1, em parceria com o  Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), a seleção pública instituições e empresas interessadas em participar da execução de mecanismos que estimulem a redução de carbono na produção de carne e leite bovinos no Brasil. A iniciativa ocorre no âmbito do Acordo de Cooperação Técnica entre BNDES e Mapa, firmado em fevereiro deste ano.
O projeto do BNDES tem como objetivos elaborar uma calculadora de análise de ciclo de vida (método que avalia toda a cadeia de produção), que vai auxiliar na mensuração e certificação das emissões de carbono para os diversos modelos de produção da pecuária bovina; e, a partir desse sistema, propor mecanismos que estimulem estratégias e modelos de negócios voltados para investimentos em tecnologias de baixo carbono.
A proposta selecionada deverá receber apoio financeiro do BNDES por meio do Fundo de Estruturação de Projetos (BNDES FEP), via recursos não reembolsáveis.
O sistema de mensuração de emissões de carbono, baseado na calculadora de análise de ciclo vida, poderá viabilizar a criação de instrumentos financeiros vinculados a metas de desempenho ambiental de produtores de carne e leite bovinos, como o BNDES Crédito ASG e o Programa BNDES REnovaBio, soluções que oferecem taxas menores para as empresas do setor de biocombustíveis que apresentam redução de emissão de carbono nos seus processos produtivos.
“A iniciativa vai dar transparência para o nosso setor produtivo, e dessa forma vamos conseguir criar mecanismos regulatórios e de incentivos financeiros para incentivo a melhores práticas ”, afirma Bruno Aranha, diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do BNDES.
Além disso, o esforço em se desenvolver uma pecuária de baixo carbono, ou mesmo neutra, segundo ele, cria oportunidades de renda adicional aos produtores através da geração destes crédito de carbono, contribuindo também para os compromissos climáticos atualizados pelo Brasil na COP26.
(Com assessoria)