Crédito: Freepik

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) selecionará até três fundos de investimento em participações (FIPs) voltados a negócios de impacto, ou seja, empreendimentos com objetivo de gerar efeitos socioambientais e resultados financeiros positivos de forma sustentável. Com o objetivo de atrair investimentos privados para essa finalidade, o BNDES aplicará até 25% do valor total de cada fundo, que terá de captar o volume restante no mercado. A expectativa é que os fundos sejam selecionados em novembro e que sejam levantados ao menos R$ 800 milhões para investimentos, entre recursos do BNDES e de outros investidores.

Com a iniciativa, o Banco procura estimular negócios que apoiem a transformação da sociedade e a melhoria da vida dos brasileiros sob diversos aspectos, como gestão de resíduos, moradia, acessibilidade digital, meio ambiente, transporte, recursos hídricos, saneamento básico e educação. A ação está em linha com o Plano Trienal 2020-2022 do BNDES e com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).

O lançamento da chamada pública encerra a Semana de Impacto BNDES, que contou com participantes nacionais e estrangeiros. No início da semana, foram abertas as inscrições para a edição 2021 do BNDES Garagem, voltado à aceleração de startups de impacto socioambiental.

“A chamada pública para a seleção de fundos de investimento de impacto, somada ao novo BNDES Garagem, segue a estratégia da BNDESPar, de incentivar o investimento em ações de impacto no país, em prol da agenda AGS (Ambiental, Governança e Social) e de desenvolvimento do mercado de capitais no país”, disse Bruno Laskowski, Diretor de Participações, Mercado de Capitais e Crédito Indireto do BNDES.

A chamada dos fundos de impacto conta com duas modalidades, de acordo com o porte das empresas. Serão selecionados até dois fundos na modalidade FIP Impacto MPME, com foco em empresas que apresentem receita operacional bruta de até R$ 90 milhões no ano imediatamente anterior ao aporte do fundo. Nesse caso, cada fundo deverá ter como meta a captação de pelo menos R$ 200 milhões.

Na modalidade FIP Impacto Livre, poderá ser selecionado um fundo que invista em empreendimentos sem limite de receita, devendo ter como perspectiva um capital comprometido mínimo de R$ 400 milhões.
Como regra, as equipes dos fundos que concorrerão na chamada pública e suas bases operacionais deverão estar sediadas no Brasil.
Seleção

Será avaliada a estrutura da proposta. considerando-se a tese de impacto do fundo e dimensões como a estratégia de formação de portfólio e o investimento em empreendimentos oriundos de regiões periféricas, a composição de custos e a captação de recursos. A comissão, formada por profissionais do BNDES, também avaliará a equipe do gestor, sua diversidade de gênero e de etnia, além da inclusão de pessoas com deficiência, entre outros critérios. Serão ainda analisadas as metodologias de mensuração do impacto socioambiental das empresas investidas. As propostas poderão ser submetidas ao BNDES até 13 de agosto. (com assessoria de imprensa)