Brasileiros apóiam boas práticas de sustentabilidade-crédito-freepik-digital-mney-inform

Crédito: Freepik

A sigla ESG ainda é pouco conhecida entre os brasileiros. Mas quando se fala sobre temas relacionados à sustentabilidade ambiental, social e de governança corporativa, que compõem a sigla ESG (Environmental, Social and Governance), grande parte da população mostra-se familiarizada e considera importante que empresas e poder público adotem boas práticas, mesmo que venham a comprometer o lucro e o crescimento econômico do país.

Quando perguntados especificamente sobre o tema, 63% dos brasileiros se disseram bem informados sobre questões ambientais, 64% sobre questões sociais e apenas 35% sobre governança corporativa, segundo pesquisa Febraban-Ipespe, que buscou investigar o conhecimento e envolvimento dos brasileiros a respeito do tema da sustentabilidade, e de como as boas práticas se inserem no cotidiano da população.

A maioria dos entrevistados considera muito importante ou importante que cidadãos, governos e empresas adotem ações para melhoria da sustentabilidade socioambiental e de governança.

Realizado entre os dias 2 e 7 de setembro, com 3 mil pessoas nas cinco regiões do país, o levantamento mostra que, seguindo uma tendência internacional, o brasileiro também está atento ao comportamento das empresas e marcas ao tomar decisões sobre o consumo de produtos e serviços: mais de 90% indicam a influência das ações de responsabilidade social e ambiental de empresas ou marcas sobre a opinião e a relação com as mesmas.

“Entender como o brasileiro percebe o conceito de ESG ajudará governos e empresas a orientar suas ações, ressaltando-se que a agenda da sustentabilidade transborda as questões ambientais e se estende a aspectos social e ético”, afirma avalia Isaac Sidney, presidente da Febraban.

O sociólogo e cientista político Antonio Lavareda, presidente do Conselho Científico do IPESPE, diz que o levantamento ratifica a relevância dessa pauta para a opinião pública nacional: quase oito em cada dez entrevistados se dizem interessados em questões ambientais.

“Este levantamento reforça pesquisas anteriores que mostravam que 74% dos entrevistados tinham muito ou algum interesse pelo tema da preservação do meio ambiente e 78% disseram-se pouco ou nada satisfeitos com os esforços empreendidos no país nesse campo”, diz Lavareda.

Meios de informação

A internet é o meio preferencial de informação sobre o tema para a maioria dos brasileiros. Se considerada apenas a primeira menção, os canais online (portais de notícias, redes sociais, sites e blogs, WhatsApp) somam 58%. Esse resultado, no entanto, não minimiza a força que a televisão continua a ter: na primeira resposta, as referências à TV (aberta e fechada) somam 31%.

No entanto, a falta de informação sobre o tema (73%) é o maior empecilho para a adoção de práticas de sustentabilidade e de consumo consciente entre os brasileiros – desconhecimento sobre a importância da sustentabilidade (46%) e desinformação de como agir de maneira sustentável (27%).

(Com assessoria)