Wireless connectivity concept vector illustration.

Crédito: Freepik

O Brasil é o país latino-americano com mais adeptos ao uso do cartão, débito ou crédito, para pagar suas contas, conforme aponta o relatório conduzido pelo Atlantico, fundo de venture capital. Enquanto no México e Peru as compras em dinheiro representam 86% e 85% das movimentações, respectivamente, no Brasil apenas 65%.

O estudo Transformação Digital na América Latina 2021 atesta ainda que brasileiros preferem movimentar seu dinheiro por meio de bancos digitais, mesmo com contas também em bancos tradicionais.

O movimento de digitalização dos bancos é algo que deve ser ampliado nos próximos anos, segundo Julio Vasconcellos, managing partner do Atlantico. “Os consumidores têm buscado alternativas para facilitar suas vidas e os bancos e meios de pagamento digitais têm oferecido mais artifícios para agilizar a rotina das pessoas.”

Essa mudança de paradigmas nos pagamentos é reforçada pelo aumento de quase cinco vezes nos pagamentos feitos por aproximação no último ano. No primeiro quadrimestre deste ano 2021, as movimentações contactless chegaram a R$ 18,6 bilhões, comparadas aos R$ 4 bilhões registrados no mesmo período do ano passado.

O Pix, segundo mostra o estudo, contribuiu para acelerar a preferência dos brasileiros por meios de pagamento sem contato e de forma digital.

De novembro de 2020 a julho de 2021, as transações nessa modalidade aumentaram em 2.546% no Brasil. No México, o sistema CoDi, algo semelhante ao sistema de pagamento instantâneo brasileiro, teve aumento de apenas 37%.

Outro dado importante é que as transações por Pix têm ganhado espaço dentro das empresas. Em junho de 2021, 27% das movimentações já são feitas com pelo menos uma empresa envolvida, enquanto em novembro do ano passado, quando foi lançado, apenas 13% das empresas adotaram esse modelo.

(Com assessoria)