Cielo investe na diversidade racial e de gênero - Crédi: Freepik

Crédito: Divulgação

A Cielo, empresa de pagamentos eletrônicos, está apostando na diversidade racial e de gênero para a composição de seu quadro de colaboradores. A expectativa da empresa é que as mulheres representem 45% do quadro geral da companhia até 2025, enquanto negros e indígenas atinjam 35% do efetivo. Atualmente, 39% dos colaboradores são mulheres e 31% são negras e indígenas. A companhia também estipulou metas para liderança.
A aprovação de metas é a medida mais assertiva tomada pela companhia para elevar a participação das minorias e aproximá-las do espectro demográfico brasileiro, segundo Fernando Pinto Lima, vice-presidente de gente, gestão e performance.
“Não é um objetivo simples porque o universo financeiro e de tecnologia, onde a Cielo está inserida, é predominantemente masculino e ocupado por pessoas brancas. Mas essa realidade não pode servir como justificativa para acomodação”, afirma Lima.
Uma das primeiras iniciativas da Cielo para alcançar as metas foi reservar mais de 130 vagas de gerente comercial para mulheres. Ainda em a abril, a companhia abrirá seleção focada em recrutar mulheres para postos de tecnologia de informação, outra área com predominância masculina.
Além disso, a companhia se integrou à Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial, que a apoiará em atrair e acelerar a carreira de profissionais negros, novos e já integrados à companhia.
Monitorando as diretrizes
A companhia criou uma forma de mensuração anual da meta proposta entre 2022 e 2025 para que o resultado seja atingido sem sobressaltos.
Em um primeiro momento profissionais da área de Recursos Humanos poderão ter suas rendas variáveis afetadas caso não consigam atingir o que foi estipulado para o ano corrente. “Em um segundo momento a liderança de diferentes áreas também poderá ter suas rendas variáveis afetadas em caso de não cumprimento da meta.
Essa é uma demonstração do compromisso de toda a companhia com o aumento da diversidade, causa que ainda tem o poder de tornar a Cielo mais competitiva e preparada para os variados desafios”, diz Daniel Poli, Head de Sustentabilidade, Diversidade Responsabilidade Corporativa.
(Com assessoria)