Crédito: Freepik

O Open banking teve o seu cronograma adiado em decisão conjunta do Conselho Monetário Nacional e do Banco Central. Prevista para estar concluída em 30 de agosto deste ano, a integração de todas as fases do sistema de compartilhamento de dados será feita de forma escalonada até 30 de setembro de 2022.

Desde fevereiro deste ano, apenas a primeira fase do Open Banking está em vigor, quando os bancos puderam compartilhar informações sobre produtos, serviços, canais de atendimento e localização de agências.

A segunda etapa, prevista para entrar em vigor no próximo dia 15 de julho, não sofreu alterações. Os clientes poderão autorizar, caso queiram, o compartilhamento de informações cadastrais e de transações financeiras entre bancos e fintechs.

O cronograma foi adiado a partir da terceira fase. Estava previsto que todos os meios de pagamento – débito em conta, pagamento com boletos e transferências TED e DOC, além do Pix – fossem compartilhados a partir de 30 de agosto, mas somente o Pix será incluído no Open Banking nesta data.

A opção pelo início do compartilhamento pelo Pix, segundo o Banco Central, é porque o sistema de pagamento instantâneo foi desenvolvido pela autoridade monetária e está mais padronizado que os serviços desenvolvidos individualmente pelos bancos.

Próximas etapas

Pelo novo cronograma, em 15 de fevereiro do próximo ano, as transferências para contas do mesmo banco e a Transferência Eletrônica Disponível (TED) integrarão o open banking. Em 30 de junho de 2022, será a vez dos boletos bancários. Em 30 de setembro do ano que vem, o serviço de débito em conta passará a ser compartilhado entre as instituições.

Também prevista para iniciar em agosto, o encaminhamento de propostas aos clientes foi adiado para 30 de março do ano que vem. Com base nas informações que o consumidor autorizar serem compartilhadas, as instituições poderão enviar propostas de crédito.

A quarta fase, que integra outros produtos financeiros, como operações de câmbio, de seguro, de investimentos e de previdência privada, foi mantida para 15 de dezembro, mas também será escalonada em etapas. Na data original, haverá apenas a troca de informações entre instituições financeiras, como lista de preços, de produtos e de taxas, sem envolver os dados dos clientes.

Nessa fase, o open banking será ampliado e passará a ser chamado de open finance. O compartilhamento de dados de produtos financeiros dos clientes passou para 31 de maio de 2022.

Confira o novo cronograma do Open Banking:

15 de julho de 2021

Início da fase 2, com a troca de dados de cadastros e de transações entre as instituições, como produtos e serviços associados às contas dos clientes

30 de agosto de 2021

Início da fase 3, com o compartilhamento de serviços de transferências pelo Pix

15 de dezembro de 2021

Início da fase 4, com a troca de informações entre as instituições sobre os demais produtos financeiros, como câmbio, investimentos, previdência e seguros

15 de fevereiro de 2022

Compartilhamento de serviços de transferências entre contas do mesmo banco e TED

30 de março de 2022

Compartilhamento do envio de propostas de operações de crédito a clientes que aderirem ao open banking

31 de maio de 2022

Compartilhamento de dados de clientes sobre demais operações financeiras, como câmbio, investimentos, previdência e seguros

30 de junho de 2022

Compartilhamento de serviços de pagamento por boleto

30 de setembro de 2022

Compartilhamento de serviços de débito em conta

 

(Com Agência Brasil)