Consumo de bens industriais cresce 0,4%, diz Ipea- Crédito: Freepik

Crédito: Freepik

O Índice de Consumo de Bens Industriais apresentou alta de 0,4% em fevereiro, frente a janeiro, na série com ajuste sazonal, segundo anunciou nesta quarta-feira, 27, o  Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou, nesta quarta-feira (27/04).

Conforme o instituto, o resultado do consumo de bens industriais aponta que o trimestre móvel terminado em fevereiro registrou avanço de 0,5% na margem, o terceiro período consecutivo de alta. Enquanto a produção interna destinada ao mercado nacional (bens nacionais) subiu 0,6% em fevereiro e 0,9% no trimestre móvel, as importações de bens industriais voltaram a cair, com recuos de 1,7% e 6,5%, respectivamente.

Na comparação com fevereiro de 2021, o consumo interno por bens industriais retrocedeu 7,1%. Com isso, o trimestre móvel registrou uma queda de 6,1% em relação ao verificado no mesmo período do ano passado.

Tomando como base a variação acumulada em 12 meses, a demanda cresceu 5,7%, enquanto a produção industrial, mensurada pela Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física (PIM-PF) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), acumulou alta de 2,8%. Na mesma base de comparação, as importações de bens industriais cresceram 24,8%.

Os destaques 

Com exceção do consumo aparente de bens intermediários, todos os demais grandes grupos econômicos apresentaram alta em fevereiro, frente a janeiro. Os destaques positivos ficaram por conta dos segmentos de bens de consumo duráveis e de bens de capital, que avançaram 6,1% e 4,4%, respectivamente. Em relação ao trimestre móvel, ambos também apontaram altas na margem (4,1% e 5%).

Com relação às classes de produção, a demanda interna por bens da indústria de transformação também avançou, com altas de 1,4% sobre janeiro e 0,2% no trimestre móvel.

A extrativa mineral, por sua vez, caiu 13,3% na margem, enquanto o trimestre móvel registrou alta de 7,6%. No acumulado em doze meses, as indústrias extrativas apresentaram crescimento de 19,9%.

Quinze dos 22 segmentos da indústria de transformação tiveram variação positiva no consumo aparente, o que fez o índice de difusão passar de 18% em janeiro para 68% em fevereiro. Esse índice mede a porcentagem dos segmentos com aumento em relação ao período anterior, após ajuste sazonal.

Entre os segmentos com peso relevante, os de “outros equipamentos de transporte” e de “farmoquímicos” apresentaram os melhores resultados, com altas de 24,7% e 17,1% na margem, respectivamente. Em relação ao trimestre móvel, dez segmentos registraram crescimento na comparação dessazonalizada, com destaque para o consumo aparente de veículos (10,2%).

(Com assessoria)