Sede do Banco Central em Brasília

Sede do Banco Central, em Brasília Crédito: Flickr BC

O resultado das transações correntes registrou superávit de US$2,8 bilhões em junho de 2021, ante superávit de US$3,1 bilhões em junho de 2020, informou o Banco Central nesta terça-feira, 27. Na comparação interanual, o superávit comercial aumentou US$1,4 bilhão, as despesas líquidas de renda primária, US$1,1 bilhão, e o déficit na conta de serviços, US$0,6 bilhão.

Os Investimentos Diretos no País (IDP), entretanto, somaram apenas US$ 174 milhões no mês passado, contra US$ 5,165 bilhões de junho de 2020, o que representa queda uma queda de 96,63.

A balança comercial de bens registrou superávit de US$7,3 bilhões em junho de 2021, ante superávit de US$5,9 bilhões em junho de 2020. As exportações de bens totalizaram US$29,1 bilhões em junho de 2021, aumento de 65,4% ante junho de 2020, e as importações, US$21,8 bilhões, incremento de 86,1%.

O déficit na conta de serviços totalizou US$1,6 bilhão em junho de 2021, aumento de 55,1% em relação ao déficit de US$1,0 bilhão em junho de 2020. A conta de viagens internacionais registrou despesas líquidas de US$221 milhões no mês ante US$72 milhões em junho de 2020.

A conta de viagens internacionais registrou déficit de US$ 221 milhões em junho. O valor reflete a diferença entre o que os brasileiros gastaram lá fora e o que os estrangeiros desembolsaram no Brasil no período. Em junho de 2020, o déficit nessa conta foi de US$ 72 milhões.

(Com assessoria de imprensa)