Seta azul em escada cinza descendo os degraus - Crédito: Freepik

Crédito: Freepik

O resultado das transações correntes externas do Brasil ficou negativo em outubro deste ano, em US$ 4,464 bilhões, informou nesta quinta-feira, 25, o Banco Central. Este é o pior desempenho para meses de outubro desde 2019, quando o saldo foi negativo em US$ 9,257 bilhões.

Na comparação interanual, o superávit comercial diminuiu US$2,4 bilhões, o déficit em renda primária aumentou US$1,3 bilhão, e o déficit em serviços recuou US$207 milhões.

Nos doze meses encerrados em outubro de 2021, o déficit em transações correntes somou US$26,7 bilhões (1,66% do PIB), ante US$23,4 bilhões (1,47% do PIB) em setembro de 2021, e US$23,3 bilhões (1,54% do PIB) em outubro de 2020.

Renda primária

Em outubro de 2021, o déficit em renda primária totalizou US$4,6 bilhões, ampliação de 38,9% comparativamente aos US$3,3 bilhões observados em outubro de 2020. As despesas líquidas de lucros e dividendos, associadas aos investimentos direto e em carteira, totalizaram US$3,7 bilhões, aumento de 58,6% em relação a outubro de 2020.  As despesas líquidas com juros somaram US$899 milhões, ante US$975 milhões registrados em outubro de 2020.

Os ingressos líquidos em investimentos diretos no país (IDP) somaram US$2,5 bilhões em outubro de 2021, ante US$3,1 bilhões em outubro de 2020. Os ingressos líquidos em participação no capital atingiram US$3,0 bilhões e as operações intercompanhia registraram saídas líquidas de US$547 milhões. Nos doze meses encerrados em outubro de 2021, o IDP totalizou US$49,2 bilhões (3,06% do PIB), ante US$49,9 bilhões (3,13% do PIB) no mês anterior e US$45,9 bilhões (3,05% do PIB) em outubro de 2020.

Investimentos mercado doméstico

Os investimentos em carteira no mercado doméstico totalizaram ingressos líquidos de US$1,5 bilhão em outubro de 2021, compostos por US$655 milhões em ações e fundos de investimento e US$802 milhões em títulos de dívida. Os ingressos líquidos de investimentos em carteira no mercado doméstico totalizaram US$38,0 bilhões nos doze meses finalizados em outubro de 2021.

Reservas internacionais

As reservas internacionais somaram US$367,9 bilhões em outubro de 2021, redução de US$959 milhões em comparação a setembro de 2021. O resultado decorreu de vendas à vista, US$500 milhões, e contribuição negativa das variações de preços, US$1,3 bilhão. A contribuição positiva das variações por paridades somou US$504 milhões, e a receita de juros totalizou US$423 milhões.