Crédito: Freepik

O Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu, por unanimidade, elevar a taxa Selic para 3,50% ao ano. O resultado já era o esperado pelo mercado, visto que o BC já tinha sinalizado que avançaria 0,75 pontos percentuais também em maio. Esse foi o segundo aumento seguido da Selic, em março o Copom passou a taxa básica de 2,00% para 2,75% ao ano.

O Copom prevê as projeções de inflação situando-se em torno de 5,1% para 2021 (dentro da meta de 3,75%, com margem de 1,5 ponto) e 3,4% para 2022. “Esse cenário supõe uma trajetória de juros que se eleva para 5,50% neste ano e para 6,25% ao ano em 2022”, reflete a nota do BC.

O Comitê ressalta, no entanto, que no cenário básico para a inflação permanecem fatores de risco em ambas as direções.

A nota do Copom faz também referência ao prolongamento das políticas fiscais em resposta à pandemia e a demora na votação da Reforma Tributária que podem ter reflexos futuros. “O risco fiscal elevado segue criando uma assimetria altista no balanço de riscos, ou seja, com trajetórias para a inflação acima do projetado no horizonte relevante para a política monetária”, assinala o documento.

Para a próxima reunião, o Comitê prevê a continuação da elevação da taxa Selic com outro ajuste da mesma magnitude.