O crédito bancário registrou crescimento de 0,5% em abril, totalizando R$ 4,126 trilhões no volume ofertado, na comparação com R$ 4,104 trilhões, registrado em março. Em doze meses até abril, o volume de crédito bancário registrou aumento de 15,1%, segundo relatório divulgado pelo Banco Central nesta sexta-feira, 28.

Os números do BC mostram que o crescimento do crédito total foi acompanhado de aceleração das novas concessões, que somaram R$ 393,848 bilhões em abril, contra R$ 375,690 bilhões no mês anterior.

Os juros do cheque especial subiram de 122,3%, em março, para 124,5% ao ano, em abril. Já o juro médio do rotativo do cartão de crédito subiu de 334,6% em março para 335,3% ao ano em abril. No mesmo mês de 2020, a taxa era de 315,1% ao ano. Já os juros bancários médios com recursos livres (sem contar habitacional, rural e BNDES) de pessoas físicas e empresas, subiram de 28,5% ao ano, em março, para 29% ao ano em abril, registrando uma alta de 0,5 ponto percentual.

A taxa de inadimplência média registrada pelos bancos nas operações de crédito registrou pequeno aumento em abril, para 2,2%, na comparação com 2,1% em março. Nas operações com pessoas físicas, a inadimplência ficou estável em 2,9% no mês passado e, no caso das empresas, subiu de 1,2% para 1,3%.

Acompanhe as taxas, segundo o relatório do Banco Central:

Cheque especial: alta de 122,3% ao ano (em março) para 124,5% em abril

Crédito pessoal consignado: alta de 18,9% ao ano (em março) para 19,4% em abril

Financiamento imobiliário: queda de 6,9% ao ano (em março) para 6,7% em abril

Rotativo do cartão de crédito: alta de 334,6% ao ano (em março) para 335,3% em abril

Cartão de crédito parcelado: queda de 167,6% ao ano (em março) para 165,7% em abril