A cotação do bitcoin sofre novo tombo nesta quarta-feira (19), caindo abaixo de US$ 40 mil pela primeira vez desde fevereiro. Nas últimas 24 horas, a moeda atingiu uma mínima de US$ 36.219, segundo a bolsa de criptomoedas Coindesk. O valor representa uma queda de cerca de 45% em relação à cotação máxima já atingida pelo bitcoin, de US$ 64.829. Em um ano, no entanto, a criptomoeda ainda acumula alta de cerca de 27%.

As razões para a queda de hoje, 19, conforme os analistas, devem-se ao efeito da regulação do governo Chinês que disse que as instituições financeiras e empresas de pagamento não devem participar de quaisquer transações relacionadas a criptomoedas, nem devem fornecer serviços relacionados aos seus clientes. Durante a semana, a criptomoeda já estava bem volátil, devido às declarações de Elon Musk, presidente da Tesla.

Investimentos no Brasil

Já foram investidos este ano US$ 3,1 milhões no ecossistema brasileiro de startups de moedas digitais, o que representa 86% do valor recorde investido em um ano inteiro nesse mercado: US$ 3,6 milhões, segundo pesquisa do Distrito.

Conforme o estudo, de 2010 até agora foram listadas 88 fintechs de criptomoedas em atividade no país.As fintechs de criptomoedas começaram a surgir no Brasil a partir da primeira grande alta do Bitcoin, em 2017. Nesse período, foram lançadas 26 novas fintechs nessa categoria, enquanto em 2016 eram apenas oito startups trabalhando com a moeda.

Considerado o rei das moedas digitais, o Bitcoin foi o primeiro criptoativo a surgir no mercado. Em maio de 2010, onze anos atrás, um programador comprou duas pizzas por 10 mil bitcoins em Nova York. Se tivesse guardado os cobres, hoje eles valeriam US$ 443,6 milhões.