Culte oferece empréstimos com garantia de bitcoins - Crédito: Freepik

Crédito: Freepik

A Culte, startup maranhense voltada ao agronegócio familiar, inicia a concessão de empréstimos com bitcoin como garantia.  A iniciativa é um exemplo de como as empresas podem incorporar as criptomoedas no seu negócio, à medida que estas começam a circular entre o público investidor. O empréstimo com garantia em bitcoin permite acesso a crédito ainda mais rápido e ainda assegura a manutenção do investimento em criptos.

Conforme explica Bianca Ticiana, fundadora da Culte, o mercado de crédito com garantia em bitcoin tem crescido de forma acelerada nos últimos anos em países da Europa e também nos Estados Unidos. “Esta é uma forma prática de não perder seus investimentos e ainda ter acesso aos reais dos quais precisa para atender às necessidades de curto e médio prazo, como novas aquisições, investimentos, quitação de dívidas, entre outros”, afirma a executiva.

A ideia de oferecer crédito com bitcoins em garantia surgiu porque muitos clientes da Culte possuem criptomoedas, mas desejam preservá-las mesmo diante das demandas mais urgentes. “Percebemos, então, que esta poderia ser uma forma de atendermos tanto os agricultores que têm parte do seu patrimônio em criptomoedas quanto a comunidade de criptoinvestidores”, relata.

Bianca cita ainda as vantagens que o cliente tem ao fazer o empréstimo utilizando a criptomoeda como garantia, como juros menores quando comparados aos empréstimos sem garantia, rapidez quando comparados aos empréstimos com garantia de imóveis e veículos, pois não precisam de vistorias e nem de registros em cartórios, possível valorização do ativo em longo prazo e o pagamento mensal apenas dos juros, já que o valor principal é pago apenas na última parcela.

Atualmente, é possível obter este tipo de empréstimo em exchanges, porém ainda não há regulamentação. No caso da Culte, a modalidade é regulamentada, já que a startup segue as leis brasileiras e só opera em reais; logo, não há problema com relação à oscilação cambial.

A fundadora da Culte detalha que o Bitcoin cedido em garantia fica sob a guarda da BitGo, até que o empréstimo seja pago. “Trata-se de uma empresa sólida, que atende as maiores exchanges de cripto do mundo com segurança, por contar com uma base tecnológica de última geração e conformidade em alto nível”, diz a CEO da Culte.

Nos últimos seis meses, a Culte recebeu mais de R$ 15 milhões em solicitações de empréstimos, sendo que 70% dos agricultores que solicitaram nunca tiveram acesso a crédito. Hoje, a startup está presente em 20 estados brasileiros, reunindo mais de dois mil pequenos agricultores, mais de 30% mulheres. Agora, a meta é ampliar a oferta de crédito para R$ 30 milhões, até o final do ano.

(com assessoria)