Demanda por ações da Eletrobras pode superar oferta em até 4 vezes - Crédito: Freepik

Crédito: Freepik

A demanda pelas ações da Eletrobras utilizando até 50% do dinheiro do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) ficou acima do teto de R$ 6 bilhões estabelecido pelo governo. Segundo operadores de mercado, o total superou em três ou quatro vezes esse valor.  Na prática, os valores individualmente solicitados pelas pessoas físicas sofrerão cortes.

O tamanho do corte ainda dependerá do valor oficial da demanda. O trabalhador só pode fazer a reserva utilizando, no máximo, metade de seu saldo do FGTS, com um aporte mínimo de R$ 200. Todos os pedidos serão atendidos com uma redução ao valor desejado, de forma proporcional entre os investidores.

A oferta de ações da Eletrobras, no âmbito do processo de privatização da empresa de energia elétrica, pode movimentar até R$ 35 bilhões, consideradas a oferta primária de 627,6 milhões de ações e mais um lote adicional de 104,6 milhões de ações.

Entre os grandes investidores que atuaram como âncora na operação estão o GIC, o fundo soberano de Cingapura, e o CPPIB, fundo de pensão canadense, segundo noticiou a agência Reuters.

A oferta de ações será precificada nesta quinta-feira, 9. Espera-se uma das maiores ofertas de ações do mundo este ano, atrás do IPO de US$ 10,7 bilhões da LG Energy Solution Ltd da Coréia do Sul e perto dos US$ 6,08 bilhões levantados pelo IPO da Dubai Electricity and Water Authority.

A GIC será uma das âncoras da oferta de ações, ao lado de investidores tradicionais de ações, como as gestoras de ativos brasileiras SPX Capital e Truxt.

Ainda segundo a apuração da Reuters, GIC e CPPIB devem unir forças com a gestora de ativos 3G Radar, agora maior acionista privado da Eletrobras com 11% de participação, para desenhar uma estratégia pós-privatização.

(com agências)