Maria Teresa Fornea Caron, VP da unidade Home da Creditas - Foto: Divulgação

Maria Teresa Fornea Caron, VP da unidade Home da Creditas – Foto: Divulgação

O mercado de crédito imobiliário brasileiro tem muita concentração e pouca sofisticação na opinião de Maria Teresa Fornea Caron, VP da unidade Home da Creditas, ao participar de mesa redonda sobre o Mercado de Crédito no Brasil, nesta quarta-feira, 25, no Digital Money Meeting.

Maria Teresa acredita que qualquer tipo de crédito, não só o imobiliário, consegue dar taxas mais justas do que é praticado no país, e o Open Banking vai proporcionar a entrega de produtos que façam mais sentido para a população.

“O compartilhamento de dados vai nos permitir criar novos produtos e ficar menos dependentes das informações repassadas pelos bancos e pelo monitoramento da adimplência”, disse Maria Teresa Caron.

Na opinião da VP, não só o crédito imobiliário será beneficiado com o Open Banking, mas todo o mundo fiscal vai andar mais rápido com o compartilhamento de informações.  “O crédito imobiliário está evoluindo e as questões fiscais e trabalhistas ainda são muito burocráticas, mas esse é um caminho sem volta, é a reconfiguração do mercado”, prevê.

Maria Teresa ressalta o esforço de infraestrutura das empresas para se adequar à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e comemora o movimento do mercado imobiliário. “Quando se tem mais informações, muda o olhar a partir de inúmeras variáveis, e podemos ampliar o portfólio de produtos e o crédito para os nossos clientes”, pontua.