Mão de homem negro segura carteira de trabalho - Crédito: Freepik

Crédito: Freepik

Embora tenha desacelerado em relação a agosto, o mercado de trabalho formal brasileiro fechou setembro com saldo positivo de 313.902 carteiras assinadas, conforme registrou o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta terça-feira, 26 pelo Ministério do Trabalho e Previdência. Em agosto, foram criados 368.091 postos de trabalho.

Para analistas do mercado financeiro esse aumento já era esperado. Foram 1,780 milhão de admissões e 1,466 milhão de demissões, em setembro. Enquanto no mesmo período de 2020, foram geradas 319.151 novas vagas com carteira assinada.

O saldo do Caged já é positivo em 2,513 milhões de vagas, no acumulado dos nove primeiros meses deste ano. No mesmo período do ano passado, houve destruição líquida de 558.597 postos formais.

Graças ao Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (Bem), 2,077 milhões de trabalhadores seguiram com garantia provisória de emprego em setembro. O programa foi relançado em abril pelo governo por mais quatro meses neste ano.

Desde janeiro do ano passado, o uso do Sistema do Caged foi substituído pelo Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial) para as empresas, o que traz diferenças na comparação com resultados dos anos anteriores.

(Com assessoria)