Crédito: Freepik

Na edição desta segunda-feira, 3, o Boletim Focus semanal, divulgado pelo Banco Central trouxe uma atualização das expectativas do mercado. O aumento da inflação, medida pelo IPCA, deve ser acompanhado por uma elevação mais intensa da taxa básica de juros, a Selic.

A expectativa para o dólar e a atividade industrial se mantiveram estáveis, enquanto o PIB registrou aumento, com variação de 3,14% ante 3,09% na semana anterior.

A mediana para o IPCA este ano foi de alta de 5,01% para 5,04%. Há um mês, estava em 4,81%. A projeção para o índice em 2022 teve acréscimo, ficando em 3,61%. Quatro semanas atrás, estava em 3,52%.,

O relatório Focus trouxe ainda a projeção para o IPCA em 2023, que seguiu em 3,25%. No caso de 2024, a expectativa permaneceu em 3,25%. Há quatro semanas, essas projeções eram de 3,25% para ambos os casos.

A projeção dos economistas para a inflação está acima do centro da meta de 2021, de 3,75%, sendo que a margem de tolerância é de 1,5 ponto (de 2,25% a 5,25%). A meta de 2022 é de 3,50%, com margem de 1,5 ponto (de 2,00% a 5,00%), enquanto o parâmetro para 2023 é de inflação de 3,25%, com margem de 1,5 ponto (de 1,75% a 4,75%).

Selic

Os economistas do mercado financeiro alteraram suas projeções para a Selic (a taxa básica da economia) no fim de 2021. O relatório mostrou que a mediana das previsões para a Selic neste ano foi de 5,25% para 5,50% ao ano.

Há um mês, estava em 5,00%. No caso de 2022, a projeção foi de 6,00% para 6,13% ao ano, ante 6,00% de um mês antes. Para 2023, seguiu em 6,50%, igual a quatro semanas atrás. Para 2024, permaneceu em 6,50%.