Sede da Fiesp, na avenida Paulista em São Paulo - Crédito: Flickr Fiesp

Sede da Fiesp, em São Paulo  – Crédito: Flickr Fiesp

Após divergências com a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) e do Bolsonaro ter baixado o tom ao ataque contra o Supremo Tribunal Federal (STF), a Federação das Indústrias de Estado de São Paulo (Fiesp) publicou, nesta sexta-feira,10, o manifesto em defesa da harmonia entre Poderes, que deveria ser divulgado antes de 7 de setembro.

Originalmente, o documento seria divulgado na semana passada, quando a crise institucional subia a temperatura, culminando na terça-feira, 7, em que Bolsonaro fez dois discursos, um em Brasília e outro em São Paulo, ameaçando em alto e bom tom os três Poderes da República.

No dia seguinte, 8, o ministro Luiz Fux, em discurso firme, respondeu a ameaça golpista do presidente.

A Fiesp optou por publicar seu manifesto um dia após Bolsonaro dar um passo atrás e tentar acalmar os ânimos em comunicado divulgado pelo Planalto recuando dos ataques feitos ao STF, durante os atos promovidos por apoiadores no feriado do 7 de setembro.

A nota de Bolsonaro à nação, escrita junto com o ex-presidente Michel Temer, repercutiu positivamente nos mercados financeiros, causando alta da Bolsa e queda do dólar – após uma tumultuada quarta-feira, 8, em que o Ibovespa despencou e a moeda norte-americana elevou em reação aos atos de 7 de setembro.

O racha na Febraban

O documento da Fiesp contava no início com o suporte da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), mas a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil, controlados pelo Governo, não concordaram com a nota por considerá-la crítica ao posicionamento do governo Bolsonaro e ameaçaram sair da entidade, caso ela publicasse.

A Febraban se posicionou contra assinar o documento e que não ficaria mais vinculada à Fiesp, que “sem consultar as demais entidades, resolveu adiar sem data a publicação do manifesto”, conforme consta na nota divulgada pela entidade, na sexta-feira passada, dia 3.

Carta Febraban na íntegra

“A Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN) reafirma o apoio emprestado ao manifesto “A Praça é dos Três Poderes”, cuja adesão se deu, desde o início, dentro de um contexto plurifederativo de entidades representativas do setor produtivo e cuja única finalidade é defender a harmonia do ambiente institucional no país.

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) assumiu a coordenação do processo de coleta de assinaturas e se responsabilizou pela publicação, conforme e-mail dirigido a mais de 200 entidades no último dia 27 de agosto.

A FEBRABAN considera que o conteúdo do manifesto, aprovado por sua governança própria, foi amplamente divulgado pela mídia do país, cumprindo sua finalidade. A Federação manifesta respeito pela opção do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, que se posicionaram contrariamente à assinatura do manifesto.

Diante disso, a FEBRABAN avalia que, no seu âmbito, o assunto está encerrado e com isso não ficará mais vinculada às decisões da FIESP, que, sem consultar as demais entidades, resolveu adiar sem data a publicação do manifesto.

A Febraban confirma seu apoio ao conteúdo do texto que aprovou, já de amplo conhecimento público, cumprindo assim o seu papel ao se juntar aos demais setores produtivos do Brasil num pedido de equilíbrio e serenidade, elementos basilares de uma democracia sólida e vigorosa.”

Manifesto Fiesp

“Esta mensagem não se dirige a nenhum dos Poderes especificamente, mas a todos simultaneamente, pois a responsabilidade é conjunta. Mais do que nunca o momento exige aproximação e cooperação entre Legislativo, Executivo e Judiciário.”

Entre as entidades que assinaram o documento da Fiesp constam a Associação Brasileira da Indústria de Elétrica e Eletrônica (Abinee), a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e a Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce). Além do Sindicato da Indústria de Construção Civil (Sinduscon), e o Sinditêxtil (Sindicato da Indústria de Fiação Tecelagem em geral do Estado de São Paulo (Sinditêxtil).