Fundo XP com Headline capta R$ 915 mi para startups - Crédito: Freepik

Crédito: Freepik

O fundo venture capital Headline XP, primeiro fundo de participações (FIP) da Headline, gestora global de venture capital e integrada à XP Asset, captou R$ 915,7 milhões para investir em startups brasileiras com alto potencial.

Além de superar o valor da oferta base registrada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) de R$ 834 milhões, o fundo atraiu cerca de 12.500 cotistas, tornando-se o maior FIP do país em número de investidores e também o primeiro fundo especializado em venture capital para investidores qualificados.

Para Romero Rodrigues, sócio-gestor da Headline, o resultado foi excepcional considerado o cenário desafiador para captação de recursos de empresas de tecnologia. “As últimas semanas foram das mais turbulentas para as empresas tech, desde o estouro da bolha em 2000. Embarcar nesta jornada foi uma experiência única, e uma forma incrível de aprender o que é a XP por dentro”, disse.

Fase de captação

A fase de captação do fundo contou com o apoio da rede de mais de 10 mil assessores de investimento da XP presentes em todas as partes do Brasil. “Conseguimos usar o alcance e expertise da XP para ajudar a democratizar o investimento em venture capital no país, que, até então, era encarado como inacessível ao investidor comum. Estamos mais que satisfeitos com o resultado”, afirmou Bruno Castro, CEO da XP Asset.

A parceria entre Headline, plataforma global de investimento presente em sete cidades com 46 gestores incluindo o fundador do Buscapé, e a XP Asset, foi anunciada em fevereiro deste ano.

Composição da parceria

A parceria une a estrutura operacional e ativos da gestora da XP com o histórico de desempenho e a plataforma tecnológica da holding, Headline GlobalA partir deste diferencial competitivo, o objetivo é atrair startups em estágio inicial de desenvolvimento, em setores como software, e-commerce, educação, saúde, mobilidade, ESG, blockchain, entre outros.

A duração total do fundo é de 10 anos. Nos próximos quatro anos, a equipe do fundo do fundador do Buscapé terá as atenções voltadas a formar um portfólio de cerca de 25 startups, as quais terão participações minoritárias de até 20%.

O plano é seguir a receita de sucesso já posta em prática antes por Romero: apoiar com capital, mentoria e network os melhores empresários do Brasil e, com isso, ajudar a desenvolver o ecossistema de empreendedorismo no país.

Metade do capital do fundo será usado nestes próximos quatro anos, para adquirir portfólio e, a outra metade dos recursos, nos quatro anos seguintes, será destinada à participação em aquisições de rodadas subsequentes, para evitar que sejam diluídos nas boas companhias. Nos últimos dois anos restantes, a ideia é desinvestir e retornar o capital aos cotistas.

Na fase inicial, foram mapeadas 700 oportunidades de negócios, mas a expectativa, segundo Romero, é analisar entre 1.500 e 2.000 oportunidades por ano para, em média, investir em oito startups anualmente. “É uma seleção bem criteriosa.

 

(Com assessoria)