GetNet quer deixar a Bolsa sete meses após estreia - Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

A GetNet, empresa de adquirência do Santander Brasil, comunicou na quinta-feira, 19, que planeja realizar uma oferta pública de cancelamento de registro no Brasil e uma oferta pública de delistagem nos Estados Unidos.

O movimento da terceira maior credenciadora do país – atrás apenas de Cielo (Banco do Brasil e Bradesco) e Rede (Itaú) reflete o processo de transformação do mercado de adquirência nos últimos anos. A Getnet, que até um ano estava dentro do Santander Brasil, é controlada atualmente pelo Santander Espanha, que detém 90%, por meio da sua subsidiária PagoNxt.

A GetNet planeja cancelar o registro como empresa de capital aberto (Classe A) perante a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), nos termos da Resolução CVM Nº 80, de 29 de março de 2022 e da Resolução CVM nº 85, de 31 de março de 2021.

De acordo com analistas, desde que foi listada em bolsa, os papéis da GetNet não apresentaram muita liquidez e também sofreram com a onda global que derrubou as ações de tecnologia. Na estreia, os papéis GETT3, GETT4 e GETT11 chegaram a valorizar quase 90% acima do valor precificado.

A empresa quer cancelar também o registro na Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (U.S. Securities and Exchange Commission ou “SEC”) e encerrar a negociação das Ações e das Units no segmento tradicional da B3, nos termos do Manual de Emissor da B3.

Assim, pretende encerrar a negociação dos ADRs na NASDAQ Global Select Market igualmente.

O preço a ser ofertado pelas ações e units vai ser de R$ 2,36 por ação ordinária, R$ 2,36 por ação preferencial e R$ 4,72 por unit (GETT11) ), a ser ajustado por potenciais dividendos, juros sobre capital próprio e/ou bonificações que possam ser pagos e/ou desdobramentos, grupamentos e conversões que possam ocorrer entre esta data e as datas de expiração das ofertas.

A empresa diz ainda que o preço a ser ofertado por ADRs será o equivalente em dólares ao preço de suas units, calculado com base na taxa de câmbio no dia útil anterior à data de liquidação da oferta. De acordo com o câmbio de hoje, o preço equivalente das ADSs seria de US$ 1,91.

A companhia não fez um IPO, mas sim uma listagem direta, após ser cindida do Santander Brasil. Ontem, o papel fechou a R$ 3,65, e acentuou uma queda de 52,72% desde seu primeiro dia, mas bem abaixo das retrações de outras companhias do setor, como PagSeguro (NYSE:PAGS) (SA:PAGS34) e Stone (NASDAQ:STNE) (SA:STOC31), que chegaram a cair quase 80% em 12 meses, como ressaltou o Valor.

(Com SpaceMoney e Valor)