Google coleta dados dos usuários secretamente- Crédito: Freepik

Crédito: Freepik

O Google coleta dados dos usuários secretamente, afirma Ken Paxton, procurador-geral do estado norte-americano do Texas. Isso significa que o modo de navegação anônima da empresa está longe de ser privado, pois continua coletando dados mesmo dos usuários que utilizam essa função em seu browser.

Os estados do Texas, Indiana, Washington e o Distrito de Columbia entraram com ações separadas contra o Google em janeiro em tribunais estaduais sobre o que chamaram de práticas enganosas de rastreamento de localização que invadem a privacidade dos usuários.

O encaminhamento de Paxton adiciona o modo de navegação anônima do Google ao processo aberto em janeiro.

A navegação anônima ou “navegação privada” é uma função que Paxton disse que deveria implicar em um não rastreamento do histórico de pesquisa, atividade e localização do usuário pelo Google.

O processo diz que o Google oferece a opção de “navegação privada” que pode incluir “a visualização de sites altamente pessoais que podem indicar, por exemplo, o histórico médico e orientação política ou sexual do usuário. Ou, talvez, o usuário queira comprar um presente para alguém sem que a pessoa descubra a surpresa ao ser bombardeada por anúncios direcionados.”

O processo afirma que “na realidade, o Google coleta secretamente uma série de dados pessoais, mesmo quando um usuário aciona o modo de navegação anônima”.

O Google disse que o arquivamento de Paxton é novamente “baseado em declarações imprecisas e afirmações desatualizadas sobre nossas configurações. Sempre incluímos recursos de privacidade em nossos produtos e fornecemos controles robustos para dados de localização”.

Paxton alegou anteriormente que o Google enganou os consumidores ao continuar rastreando a localização dos usuários mesmo quando eles tentavam impedir isso.

(Com Reuters e Agência Globo)