Crédito: Freepick

O governo de Jair Bolsonaro teve a sua pior avaliação desde o início de sua gestão, conforme resultado da nona pesquisa XP/Ipespe, divulgada nesta sexta-feira. O grupo de eleitores que avaliam a atual administração como ruim ou péssima atingiu o patamar de 50%, um ponto percentual a mais que no levantamento de maio.

Sobre os rumos da economia, a avaliação saltou de 26% para 29% o grupo dos que consideram o caminho certo, enquanto caiu de 63% para 60% os que veem o caminho errado. Em outra área, caiu de 50% para 45% os que dizem estar com muito medo do surto de coronavírus.

De acordo com a pesquisa, está é a primeira vez em que há um descolamento desses dois indicadores em relação à avaliação do presidente, que tinham tendências coincidentes até então. Foram realizadas 1.000 entrevistas, de abrangência nacional, nos dias 7, 8, 9 e 10 de junho. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais.

A piora nos índices de popularidade de Bolsonaro ocorreu especialmente entre os eleitores das regiões Nordeste (de 26% para 18%) e Norte e Centro-Oeste (de 31% para 28%) e Sul (de 34% para 30%), que juntas correspondem a 57% da amostra.

Segundo o levantamento, 60% dos entrevistados desaprovam a maneira de Bolsonaro administrar o país ‒ uma oscilação ascendente de 2 pontos em comparação com levantamento feito em maio. Com isso, a diferença em relação aos que aprovam a gestão saltou para 26 pontos percentuais.