Grandes bancos do país se conectam ao Gov.br-Crédito: Freepik

Crédito: Freepik

Os grandes bancos do país já estão integrados à plataforma de relacionamento do cidadão com o governo brasileiro, o Gov.br, que permite aos correntistas o acesso aos serviços públicos federais usando apenas o login e senha do seu banco, informou a Secretaria de Governo Digital (SGD).

Com a entrada do Itaú Unibanco e Agibank esta semana, atualmente nove instituições financeiras estão integradas à plataforma Gov.br: Banco do Brasil, Caixa, Sicoob, Banrisul, BRB, Santander e Bradesco.

Segundo o órgão, a medida vem facilitar o acesso dos cidadãos brasileiros aos serviços, pois, além de não precisarem memorizar novas senhas, contam com segurança nível prata.

Essa categoria dá acesso a 4,9 mil serviços públicos disponíveis no Gov.br, inclusive os que exigem maior segurança na identificação das pessoas como a Declaração pré-preenchida do Imposto de Renda, o Valores a Receber, do Banco Central, e os benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Ao abrir no Gov.br sua conta, que é gratuita, o usuário é classificado no nível bronze, que permite acesso a uma boa quantidade de serviços. Mas os serviços considerados mais sensíveis, exigem conta prata ou ouro.

“Cada vez mais órgãos do governo federal exigem nível alto de segurança na identificação do cidadão, inclusive para evitar pagar recursos ou benefícios de alguém à pessoa errada. A validação bancária no Gov.br é totalmente segura: nem o banco obtém informações que o governo disponha sobre o cidadão, nem vice-versa. Ao mesmo tempo, nos certificarmos que a pessoa é mesmo quem ela diz ser, que sua identificação é a mesma que o seu banco já dispõe”, afirma Caio Mario Paes de Andrade, secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital.

Segundo Andrade, facilidade, agilidade e comodidade constam dos principais benefícios para os usuários se cadastrarem à plataforma. O Gov.br tem 128 milhões de pessoas cadastradas, com acesso simplificado aos serviços públicos do governo – 74% deles hoje totalmente digitais.

(Com assessoria)