Fábio Póvoa e César Bertini, fundadores da SMV - Crédito: Divulgação

Fábio Póvoa e César Bertini, fundadores da SMV – Crédito: Divulgação

O grupo premium Kpool, da Smart Money Venture (SMV), fecha o primeiro ano com 80 assinantes e giro de R$ 21 milhões em investimentos em startups. A meta dos fundadores, Fábio Póvoa e César Bertini, é chegar a 130 assinantes em 2022.

Com visão 360° do early stage, foco na jornada e muito além do cheque, o grupo premium Kpool, da Smart Money Ventures aposta na estratégia, principalmente depois da captação.

A SMV, veículo de investimento responsável por impulsionar e gerir ideias de startups inovadoras com potencial de crescimento exponencial, por meio de aplicação de recursos, networking e consultoria estratégica, investe mesmo é na jornada, com visão ampla dos players e abordagem corpo a corpo para pensar, articular e prosperar, muito além do cheque.

Na linha de frente, Póvoa e Bertini entram em campo com expertise, rede valiosa de conexões e trânsito exclusivo no mercado. No estágio inicial, o recado é claro: “Sempre que captamos, emprestamos relacionamento, e isso vale ouro. Além do bom tráfego com fundos, na SMV, para quem investe ou para o founder, gastamos o tempo necessário oferecendo conhecimento de causa de quem foi empreendedor, pensamos no pós rodada, no efeito de rede com conceito de governança. Os cheques chegam, mas o mais importante é que eles vêm com valor agregado na gestão do portfólio”, detalha Fábio Póvoa.

Acompanhando a evolução

Segundo César Bertini, mesmo que os fundos tenham um trabalho muito forte de análise prévia, a filosofia perseguida pela SMV é de que o verdadeiro valor está no trabalho após a captação. “O founder já está com dinheiro, mas isso não basta. A única certeza que temos é que a empresa investida irá mudar e estamos prontos a contribuir e acompanhar esta evolução”.

Cesar Bertini ressalta que os primeiros 12 meses são de muita troca de ideias, reuniões e auxílio de perto na organização para que o negócio não seja apenas mais uma ideia que não foi para frente. “Buscamos ajudar os founders a adquirirem capacidades que os tornem empresários”, ressalta.

A SMV propõe atuar como um “catalizador” e ajudar a empresa a descobrir atalhos de crescimento, mas a pergunta que espera ter respondida é “o que o founder espera do investidor?”.

Uma dica é que o founder busque saber sobre o investidor com empresas do portfólio já investidas. “O foco é que as startups têm que olhar sempre depois do cheque assinado. Entender quem está ali do lado, no front, com bagagem. A jornada de captação é de três meses a um ano, mas a jornada com investidor pode ser de cinco a 10 anos”, completa Bertini.

A Smart Money Ventures 

ASmart Money Ventures lidera rodadas privadas de investimento de capital semente em startups nos segmentos de Fintech, Teched, Hrtech e SaaS B2B, conjugando recursos, conhecimento, experiência, melhores práticas, gestão de portfólio e networking para alavancar o crescimento exponencial.

Cada rodada tem a participação dos membros do K-Pool, um grupo seleto de investidores associados à SMV que se engajam em toda a jornada desde o deal flow até o exit das investidas.

(com assessoria)