GP-DI recua 0,55% aliviando a inflação ao produtor- Crédito: Freepik

Crédito: Freepik

O Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna (IGP-DI) apresentou queda de 0,55% em setembro, depois de recuar 0,14% em agosto, segundo divulgou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta quarta-feira, 6. O relatório aponta que as taxas do minério de ferro e de outras commodities caíram e o varejo sofreu forte pressão no período.

O resultado levou a alta acumulada em 12 meses a 23,43%, mas o recuo foi mais fraco do que a expectativa de especialistas do setor financeiro.

A queda de 22,11% registrada no preço do minério de ferro influenciou novamente o resultado da inflação ao produtor, afirmou André Braz, coordenador dos índices de preços.

“Afora o comportamento do minério, os preços de outras commodities importantes também apresentaram quedas, como milho (5,26% para -5,10%), bovinos (-0,24% para -2,69%) e soja (4,25% para -0,32%).”

De acordo com a FGV, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-DI), que responde por 60% do indicador geral, sofreu queda de 1,17% em setembro, depois de cair 0,42% no mês anterior.

O destaque do IPA-DI ficou com as Matérias-Primas Brutas, que aceleraram a queda a 5,75% em setembro, ante 4,17% no mês anterior.

O consumidor, por outro lado, viu no mês maior pressão. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que responde por 30% do IGP-DI –  acelerou aumentou 1,43%, de 0,71% em agosto.

O grupo Habitação saltou para 2,59% no mês passado, de 0,59%, refletindo salto de 8,52% na tarifa de eletricidade residencial, contra taxa de 0,93% em agosto.

Já o Índice Nacional de Custo de Construção (INCC) subiu 0,51% em setembro, de uma alta de 0,46% no mês anterior.

O IGP-DI é usado como referência para correções de preços e valores contratuais. Também é diretamente empregado no cálculo do Produto Interno Bruto (PIB) e das contas nacionais em geral.

(Com assessoria)