Calendário com pilhas de moedas e caneta

Crédito: Freepik

A projeção da inflação, de acordo com a expectativa do mercado, teve crescimento pela 24ª quarta semana, segundo o Boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira, 20, pelo Banco Central. De acordo com os economistas entrevistados pelo BC, a inflação deve chegar a 8,35% em 2021, ante 8% registrado na semana passada.

Para 2022, a expectativa de inflação também subiu, passando de 4,03 para 4,10%. A projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano manteve-se em 5,04%. Já para o próximo ano, o mercado espera um crescimento de 1,63% no PIB. Na semana passada, a previsão para 2022 era de 1,72%, é a terceira semana que a previsão do PIB para o próximo ano diminui.

Em relação à taxa básica de juros, a Selic, a expectativa subiu de 8,00% para 8,25% no final de 2021. Para 2022, a projeção também acelerou, saindo de 7,75% para 8,00%, alta também pela terceira semana consecutiva.

A previsão para a cotação do dólar no fim do ano manteve-se em R$ 5,20. Para o final de 2022, a estimativa subiu para R$ 5,23, ante R$ 5,20 na semana passada.

Projeções mais recentes

A partir desta segunda-feira, 20, o Banco Central passa a divulgar no Boletim Focus novas projeções feitas por analistas de instituições financeiras e consultorias. Fazem parte das divulgações as estimativas para componentes do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA): administrados, livres, serviços, bens industrializados e alimentação no domicílio.

Também serão tornadas públicas as projeções para taxa de desocupação e componentes do Produto Interno Bruto (PIB) pelo lado da demanda: consumo das famílias; consumo da administração pública; formação bruta de capital fixo; exportação de bens e serviços; importação de bens.

Em sentido oposto, o Focus não mais coleta projeções para a variação da produção industrial e variações trimestrais do PIB de agropecuária, indústria e serviços. Mas a coleta de estimativas anuais para o PIB dos três setores está mantida.