Franco Lamping, Mauro Levi D’Ancona e Alex Körner,, sócios da 180° Seguros – Crédito: Divulgação

A 180° Seguros acaba de anunciar o maior aporte de rodada seed no setor de seguros da América Latina, de US$ 8 milhões, liderado pela Canary, Rainfall e Dragoneer (fundos do Vale do Silício), além de 8VC (também do Vale do Silício), Quartz e Norte. Investidores anjos, incluindo executivos do Nubank e do mercado de seguros também participaram da rodada. O investimento dará o suporte para a insurtech impulsionar a estratégia de consolidação de seu modelo de negócio insurance as a service, com foco no desenvolvimento de produtos e melhoria na experiência dos clientes.

Fundada em 2020, por Mauro Levi D’Ancona, Alex Körner, e Franco Lamping, a 180° atua em um modelo B2B2C com produtos de seguros e suportes, conectando seguradoras e empresas de assistência aos consumidores com tecnologia, e visando a repensar o modelo de distribuição de produtos com inovação, comunicação simplificada, menos burocracia e atendimento humanizado.

A ideia é prover uma solução completa para que empresas consigam vender de forma digital os produtos de seguros e assistências. Com uma metodologia própria, focada em tecnologia, a 180° estuda os canais de distribuição identificando oportunidades de criar produtos únicos com a venda de seguros na jornada do cliente final, o “Embedded Insurance”. Com o aporte, a insutech vai pôr em prática seu plano de desenvolver novas soluções de seguros, trazendo inovação e flexibilidade para o mercado.

“Os produtos de seguros e assistências vão passar por uma revolução na forma que são distribuídos, assim se tornando parte da jornada de compra dos clientes. O embedded insurance permite que uma oferta seja feita quando o cliente realmente necessita do seguro (por exemplo, ao comprar um apartamento) e, assim, se torna mais personalizado e acessível”, explica o CEO e cofundador da 180°, Mauro Levi D’Ancona.

“Acreditamos que nossa visão de mercado e estratégia de empresa fez com que fundos tão importantes e que nunca investiram em startups no Brasil no estágio de Seed, confiassem no nosso modelo de negócio, que trará um aumento na penetração de seguros no Brasil de forma simples, acessível e descomplicada”, completa Mauro Levi D’Ancona.

O mercado de seguros tem grande potencial para aceitação dos brasileiros e vem se transformando com muita agilidade, especialmente por conta da pandemia. Para o CEO da 180°, o novo ambiente digital foi potencializado pela covid-19 e por uma agenda muito positiva da Susep, o regulador do setor. No acumulado de 2020, as receitas do segmento supervisionados pela Susep (Superintendência de Seguros Privados) chegaram a R$ 243,27 bilhões e, para o futuro, a projeção aponta investimentos no setor na ordem de R$ 700 bilhões até 2023, em produtos e serviços mais variados, com preços mais competitivos e seguradoras buscando maior conexão com o consumidor.

“Nesse sentido, é preciso comunicar o consumidor sobre as vantagens de acessar o setor de seguros e suas múltiplas possibilidades de serviços e produtos. Há um grande potencial de negócio em múltiplos canais porque o uso ainda é pouco recorrente, e portanto, enxergamos muita oportunidade para alternativas que ofereçam benefícios claros para o consumidor”, completa o CEO.