Inteligência Artificial ajuda na venda de cerveja gelada

por | 6 jan 2022 | SAS

Inteligência Artificial para cerveja gelada em condomínios. Crédito - Divulgação Digital Money Informe

Take and Go usa IA para venda de cerveja em prédios. | Crédito: Divulgação

 

O uso de inteligência artificial cresce e se diversifica no varejo de autoatendimento. Parceira da Ambev, a Take and Go utiliza recursos de IA no controle de vending machines de cerveja gelada. Os consumidores podem acessar uma geladeira com capacidade de até 300 cervejas na portaria do prédio, na área de lazer de um clube ou num local com tomada e wi-fi disponível. A bebida vem na temperatura certa, é comercializada durante 24 horas por dia por um preço competitivo e está disponível por meio de cliques pela tela do smartphone, sem necessidade de tocar em maquininhas de cartão de crédito ou ter dinheiro e moedas à mão.

A Take and Go foi criada em 2018 pelo químico Evandro Chicoria e pelo médico  Yoshitaka Terasawa, que deixaram os planos iniciais da graduação para se lançarem no empreendedorismo.  O primeiro passo foi montar uma equipe e ir atrás de uma tecnologia que viabilizasse uma máquina para além de uma geladeira e que otimizasse a experiência do usuário.

Nesse período, chegou ao time de empreendedores Vinícius Orsi Valente, engenheiro eletricista de formação que, como desenvolvedor especialista em Inteligência Artificial, ajudou a alcançar o protótipo final: a cervejeira, uma vending machine que conta com uma tecnologia própria capaz de identificar qual item foi retirado e fazer a cobrança de maneira automática no cartão de crédito cadastrado no aplicativo. É pelo app, inclusive, que a vending cooler, como também é conhecida, é destravada por meio de um QR Code, o que garante mais segurança e impede que ela seja acionada por menores de 18 anos.

 Como funciona 

A solução combina IoT, automação e IA para proporcionar novas experiências de compra e de consumo ao disponibilizar uma vending cooler nas áreas comuns dos condomínios residenciais ou comerciais. Após um pré-cadastro na plataforma, a pessoa tem acesso à geladeira, retira a cerveja gelada e recebe a cobrança em sua fatura automaticamente. Isso é possível com a ajuda de inteligência artificial que faz reconhecimento de imagem para saber quantas unidades foram retiradas da vending machine.

“Nós percebemos uma carência no mercado de aproximar uma solução de vendas dos consumidores, sobretudo os de condomínios. Testamos outros tipos de tecnologia, como RFID para a contabilização, mas optamos por uma solução baseada em visão computacional – uma subárea da inteligência artificial – como a tecnologia para as nossas cervejeiras vending coolers. Hoje temos câmeras internas nos equipamentos que, por meio de imagens, conseguem fazer uma leitura e contabilizar tudo para que possamos identificar o que foi consumido”, explica Vinícius Orsi Valente, CTO e fundador da Take and Go.

O consumidor só precisa baixar o aplicativo, fazer o cadastro, informando o cartão de crédito. Depois, basta fazer a leitura do QRCode na porta do equipamento, retirar o que quer, fechar a porta e ir embora. Não há necessidade de pagar em nenhuma máquina, nem informar dados de cartão de crédito.

“A partir dali, nosso sistema de inteligência artificial entra em ação, contabilizando o que foi consumido por cada cliente, fazendo a cobrança direto no cartão. Aperfeiçoamos continuamente o sistema e temos um doble check para evitar eventuais divergências”, diz Valente.

Com aporte inicial de R$ 100 mil, que cobriram as despesas da prototipagem e do lançamento, a cervejeira Take and Go foi lançada oficialmente em maio de 2020, com as cinco primeiras vending coolers. Em agosto, um vídeo simples e caseiro, em que Evandro explicava o funcionamento da máquina, viralizou e deu um novo ritmo de expansão à marca, levando os empreendedores a decidirem desenvolver o modelo de licenciamento da tecnologia.

“É como se fosse uma franquia. Procuramos licenciados em várias cidades do Brasil com um valor de R$ 12 mil por cervejeira e um mínimo de cinco máquinas, mas há licenciados com 50 equipamentos. Eles têm licença para operar e fazem um contrato de comodato com o condomínio, sendo um intermediário da nossa relação com os condomínios”, esclarece Valente.

Em sete meses, até dezembro de 2020, com 50 geladeiras operando com cerveja gelada, a Take and Go faturou R$ 500 mil. Em 2021, alcançou presença em mais de 80 cidades de 25 estados brasileiros e mais de 700 pontos de vendas, sendo mais de 150 licenciados. Até o momento são 1.500 cervejeiras, 60 mil clientes e 900 mil cervejas  vendidas.

Para dar conta desse plano de expansão, a Take and Go apostará no sistema de licenciamento, que confere maior flexibilidade para o investidor, inclusive, definir os rótulos alinhados com os hábitos de consumo do público local. A parceria exclusiva com a Ambev permitiu preços de mercado abaixo do que o encontrado em lojas de conveniência, bares ou restaurantes.

Já em 2022, o objetivo é alcançar um faturamento de R$ 200 milhões e 20 mil coolers instalados, e utilizar a tecnologia para a venda de outros produtos, como refrigerante, carnes e sorvetes.