Inter fecha o 1T22 com alta de 130% nas receitas totais - Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

O Banco Inter registrou lucro líquido de R$ 27,5 milhões no primeiro trimestre, uma alta de 31,8% em relação a igual período do ano passado e de 32% sobre o trimestre anterior.

A empresa obteve um crescimento de 130% nas receitas totais, atingindo a marca de R$ 1,2 bilhão. Já a carteira de crédito ampliada fechou em R$ 19,8 bilhões, 81% acima do verificado no 1T21.

As receitas totais atingiram R$ 1,24 bilhão, com avanço anual de 129,5%. As receitas líquidas atingiram R$ 906,9 milhões, aumento de 86,7%, e as receitas de serviços gerenciais ficaram em R$ 522 milhões, alta de 151,9%.

Os resultados chegam quando o Inter avança em seu posicionamento como uma empresa de tecnologia internacional. Na última semana, a companhia recebeu o sinal verde de seus acionistas para seguir com a proposta de reorganização societária e migração das ações da companhia para a bolsa norte-americana Nasdaq, como parte do plano de expansão internacional para se tornar um Super App global.

No início deste ano, o Inter concluiu a aquisição da Usend, fintech norte-americana focada em remessas e pagamentos internacionais, que possui licenças em 40 estados norte-americanos, chegando a US$ 200 milhões em remessas internacionais no trimestre.

“Nossos resultados nos mostram que estamos seguindo o propósito de consolidar o Inter como um Super App global, com facilidades para nossos clientes em diversas frentes. A migração das nossas ações para a Nasdaq foi apenas o primeiro passo para fortalecer nosso posicionamento como uma empresa de tecnologia global, nos dando acesso ao mercado de capitais com maior liquidez no mundo”, comenta o CEO do Inter, João Vitor Menin.

O banco fechou o primeiro trimestre com 18,6 milhões de clientes, número que é 82% maior do que o observado há um ano. Com essa base de clientes a companhia registrou R$ 9,6 bilhões de depósitos à vista nos três primeiros meses de 2022, o que representa crescimento de 37% em relação ao primeiro trimestre de 2021. O aumento em transações em cartões foi ainda mais expressivo, chegando a um crescimento de 86% e atingindo a marca de R$ 14,1 bilhões. A receita de cartões subiu 88%, o que representa R$ 154 milhões no ano.

(com assessoria)