Investimento em VC cai mas segue forte no país - Crédito: Freepik

Crédito: Freepik

O investimento global em Venture Capital (VC) fechou em US$ 144,8 bilhões em 9.349 negócios no primeiro trimestre de 2022, registrando queda de 24,5% em relação ao último trimestre do ano passado, que fechou com US$ 191,9 bilhões em 10.775 negócios, segundo relatório da KPMG.

No Brasil, o investimento em VC caiu para US$ 1,5 bilhão no primeiro trimestre de 2022, após dois trimestres em expansão, com recorde de US$ 3 bilhões no terceiro trimestre de 2021.

Apesar da queda no primeiro trimestre, este foi o período com o terceiro maior nível de investimento em Venture Capital que o Brasil já registrou. O resultado mostra que esse investimento no país segue forte, comparado às  tendências históricas.

Em função de um conjunto de financiamentos anteriores, o Brasil terminou 2021 com 22 empresas que angariaram mais de US$ 100 milhões, segundo o estudo. Além disso, abrangeram diferentes setores, sinalizando a crescente inovação do ecossistema brasileiro.

No ecossistema de startups, segundo o relatório, a capacidade de escalar sempre foi e continuará sendo importante na busca por capital. “Com os juros em novos patamares, que há muito tempo não se viam no Brasil, a cobrança por retorno certamente começa a pesar um pouco mais na conta dos pitches”, afirma Jubran Coelho, sócio-líder de Private Enterprise da KPMG no Brasil.

Queda global

Nas Américas a redução do investimento se manteve, saindo de US$ 103,3 bilhões em 4.628 negócios, para US$ 77,6 bilhões em 4.138 negócios no mesmo período. Os Estados Unidos responderam por US$ 70,7 bilhões desses investimentos no primeiro trimestre de 2022, contra US$ 95,4 bilhões no quarto trimestre de 2021.

Na Ásia, a queda foi de US$ 55,2 bilhões em 3.139 negócios para US$ 32,6 bilhões em 2.712 negócios.

“Embora o investimento total em Venture Capital continue forte, o número de negócios caiu consideravelmente em função de incertezas globais decorrentes de fatores geopolíticos e econômicos. Além da guerra Rússia-Ucrânia, a inflação, as taxas crescentes de juros, a turbulência nos mercados de capitais e os desafios na cadeia de suprimentos contribuíram para a desaceleração desse mercado”, afirma Diogo Garcia, sócio-diretor líder de Emerging Giants da KPMG no Brasil.

Na Europa, a pesquisa registrou um leve aumento nos investimentos em VC no primeiro trimestre de 2022, atraindo US$ 31,7 bilhões em 2.219 negócios, contra US$ 31,5 bilhões em 2.705 negócios no quarto trimestre de 2021.

O financiamento de Venture Capital foi moderado pela primeira vez no primeiro trimestre de 2022, respondendo por apenas US$ 12,6 bilhões. O número de negócios acima de US$ 1 bilhão caiu para dois, no primeiro trimestre de 2022, com ambos ocorrendo antes do início da crise na Ucrânia. A queda nos negócios de mais de US$ 1 bilhão ajudou a mostrar as jurisdições que atualmente atraem grandes negócios de Venture Capital.

(Com assessoria)