Mais uma vez a energia elétrica puxou a alta nos preços Crédito: Freepik

O IPCA-15, prévia da inflação oficial, fica em 0,83% no mês de junho, conforme divulgou nesta sexta-feira, 25, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice ficou 0,39 p.p. acima da taxa de maio, que foi de 0,44%.

Em 2021, o IPCA-15 já acumulou alta de 4,13% e, nos últimos doze meses é a alta é de 8,13%. O índice está bem acima da meta de inflação estabelecida pelo governo, que será considerada cumprida se ficar entre 2,25% e 5,25%.

De acordo com o IBGE, mais de um terço da taxa registrada no mês de junho é consequência das altas na gasolina e na energia elétrica. A gasolina, com uma alta de preços de 2,86% no mês foi um dos itens que mais influenciou a inflação de junho. Também foi registrado aumento no custo de outros combustíveis, como gás veicular, 12,41%, etanol, 9,12% e óleo diesel, 3,53%.

A energia elétrica teve alta de 3,85%, em função da mudança da tarifa para bandeira vermelha patamar 1, elevando a inflação do grupo de despesas habitação para 1,67%.

O terceiro impacto mais importante do IPCA-15, de acordo com o IBGE, veio dos alimentos, que tiveram alta de 0,41%.

Veja os resultados por cada grupo pesquisado:

  • Alimentação e bebidas: 0,41%
  • Habitação: 1,67%
  • Artigos de residência: 1,38%
  • Vestuário: 0,88%
  • Transportes: 1,35%
  • Saúde e cuidados pessoais: 0,53%
  • Despesas pessoais: 0,32%