Mastercard fez aporte de US$ 24 mi em fintech de segurança - Crédito: Freepik

Crédito: Freepik

A Mastercard fez um aporte de US$ 24 milhões na scaleup Picus Security, especializada em tecnologia de simulação de violação e ataque (BAS). O valor do aporte Série B será usado para apoiar o desenvolvimento contínuo de produtos e acelerar a expansão da empresa mundialmente.

A Mastercard diz em nota que o investimento na Picus Security permitirá decisões de segurança cibernética mais rápidas e inteligentes que possibilitarão melhores resultados para seus clientes, funcionários e, em última análise, usuários.

Na opinião de Raj Seshadri, presidente da Mastercard, “atualmente as organizações precisam não só de defesas robustas, mas também testar, aprender e se adaptar para permanecerem resilientes no futuro.”

A decisão da Mastercard em usar o BAS mostra a necessidade de as empresas se anteciparem à evolução constante das ameaças e mudar de uma postura reativa para uma proativa, disse Gabriel Camargo, diretor de produtos da CLM, VAR latino-americana especializada em infraestrutura de data centers, cibersegurança e soluções em nuvem, e que distribui os produtos da Picus no Brsil.

Mastercard e Picus vão trabalhar em colaboração 

Além do aporte, que eleva o total dos investimentos na Picus para US$ 33 milhões, a Mastercard vai usar a tecnologia de simulação de ataques da Picus para fortalecer suas ofertas de produtos e serviços. As equipes das empresas vão trabalhar em colaboração para inovar e aprimorar ainda mais as soluções aos clientes da Mastercard.

“O investimento da Mastercard na Picus é um grande endosso da completude de nossa solução e esperamos trabalhar juntos estrategicamente para compartilhar conhecimento e entregar produtos que atendam de forma abrangente aos desafios atuais de segurança”, comenta o CEO e cofundador da Picus Security, Alper Memis.

A solução Picus

A plataforma Picus Complete Security Control Validation simula ameaças cibernéticas do mundo real, incluindo ransomware e de APT (advanced persistent threat), o que permite que as empresas avaliem e melhorem continuamente a eficácia de seus controles de segurança e meçam o risco que estão correndo. A solução inclui mais de 11 mil ataques e 70 mil mitigações acionáveis, sendo atualizada diariamente para refletir as técnicas e comportamentos dos ataques mais recentes.

(Com assessoria)