Gustavo Gieru, manager partner Distrito Foto: Divulgação

O mercado de Venture Capital bateu recorde histórico de investimento este ano, o que reflete o apetite do estrangeiro no país. De janeiro até agora, já foram aplicados US$ 5,6 bilhões, resultado de 412 transações realizadas. O volume poderá chegar a US$ 8 bilhões e a 600 rodadas até o final do ano, segundo Gustavo Gierun, manager partner do Distrito, durante evento virtual da empresa As fintechs representaram o maior volume, com 72 transações, o dobro do que tiveram as retailtechs.

“A maioria das rodadas foram de Late Stage devido ao nível de maturidade que as startups vêm adquirindo e, também, ao surgimento de novos fundos no país”, a firma Gierun. Novos setores começam a despontar, como educação e saúde, atraindo a atenção dos investidores, embora sejam mercados pouco explorados em termos de tecnologia no país, segundo ele.

O mercado de M&A também está bem aquecido, com 134 transações do início do ano até agora, em comparação as 163 realizadas em 2020.  A expectativa da Distrito é que o total chegue a 250 transações até o final do ano. As fintechs e retailtechs também são os segmentos que mais atraem.

“As aquisições costumavam ser mais puxadas pelas holdings, este ano as empresas de tecnologia como Creditas, Nubank e Loft lideraram o processo, respondendo por 54% das transações de M&A”, diz Gierun.

Os IPOs também estão em alta este ano. Nos últimos doze meses, 20 empresas brasileiras de tecnologia que fizeram IPO levantaram volume superior a US$ 9 bilhões. “Esse tem sido o caminho buscado pelas companhias que já captaram recursos e precisam de uma governança mais robusta”, concluiu.